Últimas Notícias

Cheques sem Fundos

Cheques sem fundos sobem em novembro, revela Serasa Experian

18/12/2013

Foram devolvidos 2,00% de cheques no penúltimo mês do ano

O percentual de cheques sem fundos voltou a subir no mês de novembro. Ao todo, houve 2,00% de devoluções de cheques em todo o país, conforme revela o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. O percentual supera os 1,96% de cheques devolvidos em outubro último, e os mesmos 1,96% verificados em novembro do ano passado.

Já na comparação entre os acumulados do ano, os cheques devolvidos se mantiveram estáveis. De janeiro a novembro, houve 2,01% de devoluções, assim como em igual período de 2012.

Segundo os economistas da Serasa Experian, alta na inadimplência com cheques é reflexo não apenas do período mais intenso de compras por conta da aproximação das festas de final de ano, mas também por causa do acúmulo de sucessivas elevações do custo do crédito (aumento dos juros), onerando ainda mais o bolso do consumidor na hora de pagar as suas dívidas.

Confira abaixo tabela com os totais de cheques devolvidos e compensados:

 

Nos Estados e regiões

De janeiro a novembro, Roraima liderou o ranking dos estados que mais apresentaram cheques sem fundos com 10,79%. O Amazonas está na outra ponta do ranking com 1,38%. Entre as regiões, a Norte foi aquela com maior percentual de cheques devolvidos (4,37%), ao passo que a Sudeste foi a com menor percentual (1,56%).

Confira abaixo o ranking e a evolução do percentual de cheques devolvidos por região e Estado.

Em todo o país, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 2,00% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,96% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no país havia sido de 1,96% do total de cheques compensados.

Na Região Norte, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 4,38% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 4,27% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Norte havia sido de 4,49% do total de cheques compensados.

No Acre, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 9,90% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 7,77% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Acre havia sido de 8,54% do total de cheques compensados.

No Amazonas, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,42% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,25% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Amazonas havia sido de 1,50% do total de cheques compensados.

No Amapá, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 12,41% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 8,88% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Amapá havia sido de 10,08% do total de cheques compensados.

No Pará, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 4,91% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 4,94% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Pará havia sido de 4,72% do total de cheques compensados.

Em Rondônia, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 6,37% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 6,56% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Rondônia havia sido de 6,27% do total de cheques compensados.

Em Roraima, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 11,42% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 10,88% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Roraima havia sido de 11,02% do total de cheques compensados.

No Tocantins, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 4,68% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 4,50% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Tocantins havia sido de 5,88% do total de cheques compensados.

Na Região Nordeste, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 4,49% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 4,05% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Nordeste havia sido de 3,93% do total de cheques compensados.

Em Alagoas, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 8,82% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 6,61% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Alagoas havia sido de 5,32% do total de cheques compensados.

Na Bahia, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 3,77% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,28% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Bahia havia sido de 3,36% do total de cheques compensados.

No Ceará, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 3,87% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,70% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Ceará havia sido de 3,53% do total de cheques compensados.

No Maranhão, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 8,89% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 7,61% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Maranhão havia sido de 7,15% do total de cheques compensados.

Na Paraíba, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 7,90% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 6,87% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Paraíba havia sido de 7,18% do total de cheques compensados.

Em Pernambuco, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 2,73% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,45% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Pernambuco havia sido de 2,45% do total de cheques compensados.

No Piauí, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 10,99% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 8,63% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Piauí havia sido de 8,78% do total de cheques compensados.

No Rio Grande do Norte, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 7,60% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 6,39% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Rio Grande do Norte havia sido de 6,61% do total de cheques compensados.

Em Sergipe, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 11,39% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 10,13% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Sergipe havia sido de 8,41% do total de cheques compensados.

Na Região Sudeste, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,51% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,49% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Sudeste havia sido de 1,50% do total de cheques compensados.

No Espírito Santo, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 2,31% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,20% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Espírito Santo havia sido de 2,11% do total de cheques compensados.

Em Minas Gerais, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,82% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,80% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Minas Gerais havia sido de 1,83% do total de cheques compensados.

No Rio de Janeiro, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,50% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,38% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Rio de Janeiro havia sido de 1,43% do total de cheques compensados.

Em São Paulo, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,37% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,36% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em São Paulo havia sido de 1,38% do total de cheques compensados.

Na Região Sul, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,86% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 1,91% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Sul havia sido de 1,94% do total de cheques compensados.

No Paraná, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,90% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 1,92% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Paraná havia sido de 1,99% do total de cheques compensados.

No Rio Grande do Sul, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,91% do total de cheques compensados, igual à devolução de 1,91% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Rio Grande do Sul havia sido de 2,02% do total de cheques compensados.

Em Santa Catarina, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,76% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 1,91% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Santa Catarina havia sido de 1,77% do total de cheques compensados.

Na Região Centro-Oeste, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 2,86% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,81% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Centro-Oeste havia sido de 2,94% do total de cheques compensados.

No Distrito Federal, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 3,28% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,23% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Distrito Federal havia sido de 3,37% do total de cheques compensados.

Em Goiás, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 2,98% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,94% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Goiás havia sido de 2,95% do total de cheques compensados.

No Mato Grosso do Sul, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 1,60% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,50% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Mato Grosso do Sul havia sido de 1,69% do total de cheques compensados.

No Mato Grosso, a devolução de cheques em novembro/13 foi de 4,36% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 4,39% registrada em outubro/13. Em novembro/12, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Mato Grosso havia sido de 4,58% do total de cheques compensados.

A série histórica deste indicador está disponível em

http://www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/cheques_devolvidos.htm

Metodologia do indicador

O Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos consiste no levantamento mensal sobre a quantidade de cheques devolvidos por insuficiência de fundos em relação ao total de cheques compensados. Para efeito do cômputo do indicador, somente é considerada a segunda devolução por insuficiência de fundos.

Serasa Experian

A Serasa Experian é líder na América Latina em serviços de informações para apoio na tomada de decisões das empresas. No Brasil, é sinônimo de solução para todas as etapas do ciclo de negócios, desde a prospecção até a cobrança, oferecendo às organizações as melhores ferramentas. Com profundo conhecimento do mercado brasileiro, conjuga a força e a tradição do nome Serasa com a liderança mundial da Experian. Criada em 1968, uniu-se à Experian Company em 2007. Responde on-line/real-time a 6 milhões de consultas por dia, auxiliando 500 mil clientes diretos e indiretos a tomar a melhor decisão em qualquer etapa de negócio. É a maior Autoridade Certificadora do Brasil, provendo todos os tipos de certificados digitais e soluções customizadas para utilização da tecnologia de certificação digital e de Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e), tornando os negócios mais seguros, ágeis e rentáveis.

Constantemente orientada para soluções inovadoras em informações para crédito, marketing, identidade digital e negócios, a Serasa Experian vem contribuindo para a transformação do mercado de soluções de informação, com a incorporação contínua dos mais avançados recursos de inteligência e tecnologia.

Para mais informações, visite www.serasaexperian.com.br

Experian

A Serasa Experian é parte da Experian, líder mundial em serviços de informação, fornecendo dados e ferramentas de análise a clientes ao redor do mundo. O Grupo auxilia os clientes no gerenciamento do risco de crédito, prevenção a fraudes, direcionamento de campanhas de marketing e na automatização do processo de tomada de decisão. A Experian também apoia pessoas físicas na verificação de seus relatórios e scores de crédito e na proteção a fraudes de identidade.

A Experian plc está registrada na Bolsa de Valores de Londres (EXPN) e compõe o índice FTSE 100. A receita total para o ano fiscal encerrado em 31 de março de 2013 foi de US$ 4,7 bilhões. A empresa emprega cerca de 17.000 pessoas em 40 países e possui sede corporativa em Dublin, na Irlanda e sedes operacionais em Nottingham, no Reino Unido; na Califórnia, Estados Unidos, e em São Paulo, Brasil.

Para mais informações, visite www.experianplc.com

 

# # #

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.