Últimas Notícias

Notícias

Virtual Target: Tudo o que você precisa saber sobre spamtraps

24/04/2013

Um profissional de marketing inexperiente pode supor que o problema dos spams está relacionado à ferramenta de e-mail marketing ou ao provedor que está recebendo os e-mails. Porém, na maior parte das vezes, esse não é o caso. Entre tantos fatores que contribuem para que um e-mail seja considerado spam, um dos mais graves é a presença de spamtraps na base de contatos.

O que são spamtraps?

Spamtraps são endereços de e-mail criados por provedores de Internet (ISPs) para identificar spammers e que funcionam como armadilha para bloquear automaticamente o envio de mensagens de e-mail marketing.

Quais são os tipos de spamtraps?

ISPs fazem uso de duas categorias principais de spamtraps: armadilhas puras (Pristine) e armadilhas recicladas (Recycle).

Pristine ou armadilhas puras são endereços de e-mail criados e introduzidos em listas adquiridas ou colocadas em sites que capturam mensagens. Utilizar listas não legítimas, que não foram criadas com base em double opt-in, aumenta o risco de ter armadilhas na base.

A presença desses endereços prova para o ISP que a empresa está comprando ou capturando e-mails, o que pode ter um enorme impacto sobre a reputação do remetente, já que provoca a queda das taxas de entrega e inboxplacement, acarretando efeitos devastadores sobre o sucesso de uma empresa e efeitos duradouros sobre a reputação do remetente por vários meses.

Spamtraps reciclados ou Recycle também são motivo de preocupação, pois são e-mails velhos, que não interagem mais, ou endereços inativos, que eram de clientes do provedor ISP/e-mail, mas foram retirados de uso. Depois de um período indeterminado de inatividade, o ISP desativa a conta e a usa como armadilha. Uma vez que um spamtrap foi atingido, o remetente imediatamente tem que recuperar a confiança dos ISPs. Por isso, uma abordagem muito mais eficaz é trabalhar apenas com e-mails que interagem com frequência.

Outras maneiras de spamtraps acabarem em listas opt-in são os casos de erros de digitação, contas comuns (webmaster@, vendas@, suporte@ etc.) ou domínios mortos.

Como evitar spamtraps?

• Nunca compre listas: No meio delas sempre existirão spamtraps.

• Somente opt-in não basta, é necessário usar double opt-in: O primeiro e-mail pode estar embutido no “boas-vindas”, em que é preciso validar o cadastro clicando em um link. Essa é a única forma de se ter certeza de que o contato é legítimo.

• Interação: Trabalhar apenas com e-mails que interagiram recentemente e inativar contatos que não interagem há muito tempo.

• Monitoramento: Acompanhar o retorno dos ISPs através de ferramentas como o Monitor da Return Path (pago) e o SNDS da Microsoft (apenas para e-mails do grupo hotmail.com).

 

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.