Últimas Notícias

Estudos Econômicos

Grande maioria dos setores da economia apresentou melhora de desempenho no 3º trimestre de 2010 ante 3ºtri de 2009

25/10/2010

O Estudo Serasa Experian de Avaliação Setorial, que apura trimestralmente o desempenho dos setores primário, comércio, indústria e serviços e os classifica por meio de conceitos, mostrou que, no fechamento do 3º trimestre de 2010 em comparação ao 3º trimestre de 2009, 76 segmentos tiveram melhora e 23 registram estabilidade no conceito, influenciados pelo bom nível de atividade econômica, e nenhum apresentou piora.

 

Análise por Setor

O setor primário, formado por 13 segmentos, apresentou melhora em 6 segmentos e estabilidade em 7.

Dos segmentos que tiveram melhora, destacaram-se o de suínos, algodão e café, devido ao aumento do consumo interno e externo e dos preços e à queda nos custos de produção.

Dos 6 segmentos que representam o setor de comércio, todos registraram melhora de conceito. O bom desempenho do setor refletiu a expansão da atividade econômica do País; o aumento da renda; o maior volume de crédito disponível e a ampliação dos prazos de pagamento.

O segmento de supermercados foi um dos que tiveram melhora no conceito, devido aos reajustes reais do salário mínimo, à queda da taxa de desemprego e aos programas de renda mínima estabelecidos pelo governo. Os distribuidores de combustíveis também registraram melhora no conceito, devido ao crescimento da atividade econômica resultar em aumento de vendas e possibilidade de ampliação na margem de lucro. As concessionárias de ônibus e caminhões foram favorecidas pela crescente demanda interna e, particularmente nas vendas de caminhões, pelas linhas especiais de crédito – como Finame e Procaminhoneiro. A expansão do turismo tem possibilitado a expansão da frota de ônibus rodoviários, e, no caso dos ônibus urbanos, os programas governamentais e o ano eleitoral.

EVOLUÇÃO DO CONCEITO POR SETOR – 3º tri10/3º tri09

A indústria, formada por 55 segmentos, registrou melhora de conceito em 45. As condições favoráveis de crédito; o aumento da renda real; e as isenções tributárias concedidas ao segmento de bens de consumo duráveis (veículos automotores e eletrodomésticos) favoreceram o consumo interno. 10 segmentos mantiveram estabilidade.

Dentre os segmentos com melhora no conceito, estão:

  • a indústria de caminhões favorecida pela recuperação da produção industrial e agrícola do País e pela redução da taxa de juros oferecida por programas do governo, como o Procaminhoneiro e o Finame;
  • a indústria mineradora de ferro, pela recuperação da produção siderúrgica mundial – especialmente na China, maior produtora –; pela recomposição dos estoques das usinas; e pelo reajuste do preço entre 90% e 115%, negociado entre a Vale e as siderúrgicas brasileiras;
  • a indústria de alimentos e bebidas, em linha com o cenário positivo de emprego e renda;
  • o segmento de cimento, pela expansão da construção civil leve e pesada; e do consumo dos autoconstrutores, denominado consumo “formiga”; e
  • o segmento de perfumaria e cosméticos, em razão do crescimento da produção, das vendas e dos preços no varejo;

No setor de serviços, formado por 25 segmentos, 19 registraram melhora e 6 mantiveram estabilidade. O desempenho do setor também foi influenciado pela ampliação da renda e emprego e pela maior disponibilidade de crédito à população. O aumento da demanda por serviços permitiu aos segmentos reajustarem preços acima da inflação.

 

  • o segmento de transporte aéreo ficou entre os que tiveram melhora do conceito. Houve aumento no número de passageiros, em razão do crescimento da renda média da população; das maiores facilidades de pagamento, como as vendas parceladas de passagens; e da estratégia de captar novos clientes, das classes C e D.
  • as empresas da construção civil leve têm sido beneficiadas pelo crescente volume de crédito para habitação, pelo o aumento do emprego e da massa salarial, e pelas condições macroeconômicas favoráveis;
  • a construção pesada, por sua vez, tem expandido seu ritmo de atividade devido ao ciclo positivo de investimento do País, em função da maior estabilidade econômica, dos juros em patamares mais baixos, do volume crescente de recursos financeiros e de ações governamentais, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC);
  • as empresas de transmissão de energia elétrica também elevaram o conceito, favorecidas pelo maior consumo de energia no País e pelas obras em andamento; e
  • o segmento de previdência privada registrou recorde de captação, devido às melhores condições de renda e emprego, ao aumento da bancarização e a conscientização da população quanto à necessidade de planejar o futuro.

Metodologia do indicador

Construído a partir da avaliação dos setores primário, comércio, indústria e serviços formados por 99 segmentos: primário, 13 segmentos; comércio, 6 segmentos; indústria, 55 segmentos; e serviços, 25 segmentos. A avaliação setorial é realizada trimestralmente por meio de análises quantitativas e qualitativas, apoiadas por informações conjunturais e perspectivas setoriais e macroeconômicas de curto prazo. O conjunto de todas essas análises resulta na determinação da avaliação setorial, que são classificadas em três conceitos: melhora, estabilidade e piora. O início do indicador foi 2007.

 Serasa Experian

A Serasa Experian é líder na América Latina em serviços de informações para apoio na tomada de decisões das empresas. No Brasil, é sinônimo de solução para todas as etapas do ciclo de negócios, desde a prospecção até a cobrança, oferecendo às organizações as melhores ferramentas. Com profundo conhecimento do mercado brasileiro, conjuga a força e a tradição do nome Serasa com a liderança mundial da Experian. Criada em 1968, uniu-se à Experian Company em 2007. Responde on-line/real-time a 4 milhões de consultas por dia, auxiliando 400 mil clientes diretos e indiretos a tomar a melhor decisão em qualquer etapa de negócio. É a maior Autoridade Certificadora do Brasil, provendo todos os tipos de certificados digitais e soluções customizadas para utilização da tecnologia de certificação digital e de Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e), tornando os negócios mais seguros, ágeis e rentáveis.

Constantemente orientada para soluções inovadoras em informações para crédito, marketing e negócios, a Serasa Experian vem contribuindo para a transformação do mercado de soluções de informação, com a incorporação contínua dos mais avançados recursos de inteligência e tecnologia.

www.serasaexperian.com.br

Experian

A Serasa Experian é parte do grupo Experian, líder mundial em serviços de informação, fornecendo dados e ferramentas de análise a clientes em mais de 90 países. A empresa auxilia os clientes no gerenciamento do risco de crédito, prevenção a fraudes, direcionamento de campanhas de marketing e na automatização o processo de tomada de decisão. A Experian plc também apóia pessoas físicas no gerenciamento de seus relatórios e scores de crédito e na proteção a fraudes de identidade.

A Experian plc está registrada na Bolsa de Valores de Londres (EXPN) e compõe o índice FTSE 100, que é o principal indicador do desempenho médio das cotações da Bolsa de Londres. A receita total para o ano fiscal encerrado em 31 de março de 2010 foi de US$ 3,9 bilhões. A empresa emprega cerca de 15.000 pessoas em 40 países e possui sede corporativa em Dublin, na Irlanda e sedes operacionais em Nottingham, no Reino Unido; em Costa Mesa, na Califórnia e em São Paulo, Brasil.

Para mais informações, visite http://www.experianplc.com

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.