Últimas Notícias

Responsabilidade Social

Superintendente do Ministério do Trabalho diz que lei de cotas cairá a partir da conscientização do empresariado

17/06/2010

José Roberto de Melo, superintendente regional do Ministério do Trabalho e Emprego em São Paulo, em palestra hoje no 22º Fórum Serasa Experian de Empregabilidade de Pessoas Com Deficiência, acredita que a partir do momento em que os empresários entenderem que a contratação de pessoas com deficiência representa lucro e não gasto, a lei de cotas não será mais necessária. Criada em 1991, a lei obriga as empresas com mais de 100 profissionais, a contratarem pessoas com algum tipo de deficiência.

No cargo há pouco mais de um ano, José Roberto afirmou que tem tentado aproximar o Ministério do Trabalho das empresas, para conscientizá-las do ganho na contratação de pessoas com deficiência. “Temos que aprofundar o debate”, disse, em sua palestra,  cujo o tema  foi a Atual Política do Ministério do Trabalho quanto à empregabilidade de pessoas com deficiência. Na sequência, também palestrou o médico e auditor fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego em São Paulo, José Carlos do Carmo, que apresentou todos os aspectos médicos e técnicos da Medicina do Trabalho no que se refere às definições das deficiências física, visual, auditiva e intelectual.

Apesar do trabalho de conscientização, José Roberto de Melo ressalta que a fiscalização ainda é fundamental. No entanto, reconhece o déficit de profissionais dentro do Ministério para realizarem o trabalho. “Temos muitos auditores que estão se aposentando, e ainda não conseguimos suprir essas ausências”, contou.

Sobre a queixa da falta de qualificação de pessoas com deficiência, feita por muitos empresários, o superintendente perguntou ao público: “Será que só as pessoas com deficiência é que não tem qualificação?”. José Roberto de Melo defende o incentivo ao aprendizado. Para ele, linhas de financiamento podem ser o caminho. “Se há financiamento para o Pré-Sal, por que não há para qualificar pessoas com deficiência?”

Em sua palestra, José Roberto também lembrou de conversas com empresários de diferentes setores, para sensibilizá-los que pessoas com deficiência podem trabalhar em profissões, nas quais o empresariado muitas vezes não enxerga possibilidades. “Uma pessoa com deficiência física pode dirigir caminhões e ônibus adaptados, entre um grupo de lixeiros podem estar surdo-mudos, e em uma empresa de segurança, pessoas com deficiência podem trabalhar, sim. Não segurando um revólver, mas no monitoramento de câmeras e na área administrativa”, exemplificou.

Mesmo com as dificuldades enfrentadas, José Roberto de Melo destaca que os avanços estão sendo perceptíveis. “Hoje já são mais de 110 mil pessoas com deficiência empregadas no estado de São Paulo”, revelou. Para José Roberto de Melo, o aumento da fiscalização e da conscientização foram vitais para tal marca. “É um somatória de esforços. Vamos continuar nessa linha, e queremos ampliar muito mais.”

O presidente da Serasa Experian, Ricardo Loureiro, que fez a abertura do 22º Fórum, disse que o Programa de Empregabilidade da Serasa Experian faz parte do “negócio” da empresa. “Sem pessoas, não se faz negócio”, disse Ricardo, que espera que a iniciativa da Serasa Experian “contamine positivamente” outras empresas.

Programa da Serasa Experian qualifica e emprega pessoas com deficiência

Em 2001, a Serasa Experian criou o Programa de Empregabilidade de Pessoas com Deficiência, para qualificar e empregar essas pessoas, a princípio, na própria Serasa Experian. Em 2008, a partir de uma parceria com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, em São Paulo, o programa passou a qualificar maior número de pessoas com deficiência, não só para trabalharem na Serasa Experian, como também em empresas parceiras.

Realizados desde 2002, os Fóruns Serasa Experian de Empregabilidade de Pessoas com Deficiência têm como objetivo promover a troca de experiências, e fazer com que esses encontros se traduzam numa ferramenta eficaz de responsabilidade social, para o crescimento da empregabilidade das pessoas com deficiência no País. Os desafios da inclusão dessas pessoas no mercado de trabalho vêm sendo constantemente discutidos nesses fóruns.

Serasa Experian

A Serasa Experian é líder na América Latina em serviços de informações para apoio na tomada de decisões das empresas. No Brasil, é sinônimo de solução para todas as etapas do ciclo de negócios, desde a prospecção até a cobrança, oferecendo às organizações as melhores ferramentas. Com profundo conhecimento do mercado brasileiro, conjuga a força e a tradição do nome Serasa com a liderança mundial da Experian. Criada em 1968, uniu-se à Experian Company em 2007. Responde on-line/real-time a 4 milhões de consultas por dia, auxiliando 400 mil clientes diretos e indiretos a tomar a melhor decisão em qualquer etapa de negócio. É a maior Autoridade Certificadora do Brasil, provendo todos os tipos de certificados digitais e soluções customizadas para utilização da tecnologia de certificação digital e de Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e), tornando os negócios mais seguros, ágeis e rentáveis.

Constantemente orientada para soluções inovadoras em informações para crédito, marketing e negócios, a Serasa Experian vem contribuindo para a transformação do mercado de soluções de informação, com a incorporação contínua dos mais avançados recursos de inteligência e tecnologia.

www.serasaexperian.com.br

Experian

A Serasa Experian é parte do grupo Experian, líder mundial em serviços de informação, fornecendo dados e ferramentas de análise a clientes em mais de 90 países. A empresa auxilia os clientes no gerenciamento do risco de crédito, prevenção a fraudes, direcionamento de campanhas de marketing e na automatização o processo de tomada de decisão. A Experian plc também apóia pessoas físicas no gerenciamento de seus relatórios e scores de crédito e na proteção a fraudes de identidade.

A Experian plc está registrada na Bolsa de Valores de Londres (EXPN) e compõe o índice FTSE 100, que é o principal indicador do desempenho médio das cotações da Bolsa de Londres. A receita total para o ano fiscal encerrado em 31 de março de 2010 foi de US$ 3,9 bilhões. A empresa emprega cerca de 15.000 pessoas em 40 países e possui sede corporativa em Dublin, na Irlanda e sedes operacionais em Nottingham, no Reino Unido; em Costa Mesa, na Califórnia e em São Paulo, Brasil.

Para mais informações, visite http://www.experianplc.com

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.