Últimas Notícias

Demanda das Empresas por Crédito

Micro e pequenas empresas puxaram a segunda queda mensal

17/06/2010

De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda das Empresas por Crédito, a quantidade de empresas que procurou crédito recuou 1,5% em maio na comparação com o mês anterior (abril de 2010) e a queda foi puxada pelas empresas de pequeno porte. Foi a segunda queda mensal consecutiva deste indicador uma vez que, em abril, o recuo em relação ao mês de março havia sido de 5,1%. Em relação a maio de 2009, a demanda das empresas por crédito avançou 4,6%, o menor crescimento anual dos últimos quatro meses. No acumulado dos primeiros cinco meses de 2010, a demanda das empresas por crédito avançou 10,8% sobre o período acumulado de janeiro a maio de 2009.

Segundo os economistas da Serasa Experian, o fato do mês de maio ter acusado a segunda queda mensal consecutiva, bem como a menor taxa anual de crescimento da demanda por crédito dos último quatro meses, sinaliza que a procura das empresas por crédito evolui de forma bastante gradual, mantendo-se compatível com o próprio processo de desaceleração da atividade econômica esperado para ocorrer a partir deste segundo trimestre de 2010.

 Análise por porte

Na classificação por porte, as micro e pequenas empresas foram responsáveis pela queda na procura das empresas por crédito, recuando 1,6% em relação a abril/2010. Em direção oposta, a procura por crédito nas médias e grandes empresas cresceu no mês passado: 0,5% nas médias e 0,4% nas grandes empresas, na comparação maio/abril de 2010.

No acumulado do ano, as grandes empresas lideram a procura por crédito, avançando 14,2% na comparação com os primeiros cinco meses de 2009. As micro e pequenas empresas também estão exibindo crescimento bastante razoável em relação ao período acumulado de janeiro a maio de 2009 (alta de 12,0%). Somente as médias empresas exibem uma dinâmica mais contida na sua busca por crédito (recuo de 7,9%), já que muitas delas são empresas exportadoras e que, por isto, encontram um mercado externo ainda se recuperando de forma lenta dos impactos adversos da crise financeira internacional.

 Análise por setor

 As empresas do setor de serviços lideraram queda da demanda por crédito em maio, registrando recuo de 2,2% frente a abril/10. Em seguida vieram as empresas do setor industrial, com queda de 1,5%. Já para as empresas comerciais, o recuo mensal foi menor (1,0% em relação a abril/10).

No acumulado dos primeiros cinco meses de 2010, as empresas do setor comercial, com alta de 11,5%, lideram a expansão da procura por crédito. Logo em seguida aparecem as empresas de serviços com variação acumulada de 10,9%. A maior exposição do setor industrial ao cenário externo está entre as causas que explicam o desempenho mais fraco da indústria em relação aos demais setores econômicos, em termos de procura por crédito no acumulado do ano até maio (6,9% de crescimento no acumulado dos primeiros cinco meses de 2009).

Análise por região

Com exceção da Região Sudeste (elevação de 0,2%), todas as demais regiões do país registraram queda da procura por crédito de suas empresas no mês de maio. O maior recuo mensal deu-se na Região Centro-Oeste (variação de -5,5% em relação a abril/10), seguida pela queda de 4,4% na Região Sul.

No acumulado dos primeiros cinco meses de 2010, as regiões com maior crescimento na procura de suas empresas por crédito são o Nordeste e o Centro-Oeste (altas de 14,9% e 14,4%, respectivamente). As Regiões Norte e Sudeste exibem crescimento de 11,2% e 10,3% na procura de suas empresas por crédito, ao passo que a Região Sul, com elevação de apenas 7,7% no acumulado do ano, ocupa a última posição em termos da evolução anual da procura de suas empresas por crédito.

Metodologia do indicador

Construído a partir de uma amostra significativa de CNPJs, cerca de 1,2 milhão, consultados mensalmente na base de dados da Serasa Experian. A quantidade de CNPJs consultados, especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre as empresas e instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras, é transformada em número índice (média de 2008 = 100). O indicador é segmentado por região geográfica, setor e porte.

Serasa Experian

A Serasa Experian é líder na América Latina em serviços de informações para apoio na tomada de decisões das empresas. No Brasil, é sinônimo de solução para todas as etapas do ciclo de negócios, desde a prospecção até a cobrança, oferecendo às organizações as melhores ferramentas. Com profundo conhecimento do mercado brasileiro, conjuga a força e a tradição do nome Serasa com a liderança mundial da Experian. Criada em 1968, uniu-se à Experian Company em 2007. Responde on-line/real-time a 4 milhões de consultas por dia, auxiliando 400 mil clientes diretos e indiretos a tomar a melhor decisão em qualquer etapa de negócio. É a maior Autoridade Certificadora do Brasil, provendo todos os tipos de certificados digitais e soluções customizadas para utilização da tecnologia de certificação digital e de Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e), tornando os negócios mais seguros, ágeis e rentáveis.

Constantemente orientada para soluções inovadoras em informações para crédito, marketing e negócios, a Serasa Experian vem contribuindo para a transformação do mercado de soluções de informação, com a incorporação contínua dos mais avançados recursos de inteligência e tecnologia.

http://www.serasaexperian.com.br

 Experian

A Serasa Experian é parte do grupo Experian, líder mundial em serviços de informação, fornecendo dados e ferramentas de análise a clientes em mais de 90 países. A empresa auxilia os clientes no gerenciamento do risco de crédito, prevenção a fraudes, direcionamento de campanhas de marketing e na automatização o processo de tomada de decisão. A Experian plc também apóia pessoas físicas no gerenciamento de seus relatórios e scores de crédito e na proteção a fraudes de identidade.

A Experian plc está registrada na Bolsa de Valores de Londres (EXPN) e compõe o índice FTSE 100, que é o principal indicador do desempenho médio das cotações da Bolsa de Londres. A receita total para o ano fiscal encerrado em 31 de março de 2010 foi de US$ 3,9 bilhões. A empresa emprega cerca de 15.000 pessoas em 40 países e possui sede corporativa em Dublin, na Irlanda e sedes operacionais em Nottingham, no Reino Unido; em Costa Mesa, na Califórnia e em São Paulo, Brasil.

Para mais informações, visite http://www.experianplc.com

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.