Últimas Notícias

Perspectiva da Inadimplência

Inadimplência do consumidor deve parar de cair no 1º semestre de 2010, revela o Indicador Serasa Experian de Perspectiva

17/12/2009

Inadimplência das empresas entra em fase de declínio

Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor subiu 0,4% em outubro de 2009, o segundo mês consecutivo de elevação já que em setembro/09 a alta mensal havia sido de 0,2%. Este resultado confirma que, após nove meses consecutivos de queda (dezembro/08 a agosto/09), o indicador encontra-se em processo de mudança de fase (fase de declínio para fase de recuperação).

Na prática, isto significa que a atual trajetória de queda da inadimplência dos consumidores deverá desacelerar ou até mesmo ser interrompida antes do final do primeiro semestre de 2010, a despeito da recuperação que hoje se observa no mercado de trabalho. Isto porque o rápido crescimento do endividamento das famílias hoje em curso (aumento na aquisição de automóveis e bens duráveis), estimulado pelas medidas oficiais de combate à crise bem como por condições mais favoráveis do mercado de crédito, não está sendo acompanhado de elevação, em magnitude semelhante, dos rendimentos.

Deve-se notar que, apesar da interrupção na queda níveis de inadimplência dos consumidores, o fato do Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor encontrar-se abaixo do patamar 100, sinaliza que a estabilização da inadimplência deverá ocorrer num patamar de normalidade, não representando maiores riscos, por hora, à continuidade da expansão do crédito às famílias em 2010.

Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência das Empresas

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva de Inadimplência das Empresas caiu 7,3% em outubro de 2009, o sétimo recuo mensal consecutivo, atingindo o valor 101,4.

As sucessivas quedas mensais deste indicador, iniciadas em abril/09, confirmam que a inadimplência das empresas começa a sua fase de declínio neste 4º trimestre de 2009, devendo assim permanecer até pelo menos durante o primeiro semestre de 2010. A atual fase de crescimento econômico, iniciada no segundo trimestre de 2009 e a melhora gradativa do quadro externo, ambos promovendo o reequilíbrio do fluxo de caixas das empresas e, assim, melhorando as suas condições de solvência, encontram-se entre as razões que explicam esta reversão do quadro da inadimplência das pessoas jurídicas no Brasil.

Metodologia dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva

O objetivo dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva é antever, num horizonte de seis meses, em que fase do ciclo estarão as seguintes variáveis econômicas: (i) atividade econômica, (ii) concessões reais de crédito ao consumidor, (iii) concessões reais de crédito às empresas, (iv) inadimplência do consumidor e (v) inadimplência das empresas. Em geral, as variáveis econômicas apresentam ciclos compostos por quatro fases distintas: (1) expansão, (2) reversão, (3) crise e (4) recuperação. Os Indicadores Serasa Experian de Perspectiva mostrarão, justamente, a posição cíclica, para os próximos seis meses, de cada uma destas variáveis.

Cada Indicador Serasa Experian de Perspectiva é construído analisando-se o poder explicativo e a antecedência de explicação de um universo de 325 variáveis econômicas e financeiras sobre a variável-objetivo. Para tanto, todas as 325 variáveis “candidatas” bem como a variável-objetivo foram filtradas usando-se a técnica de ondaletas, a qual nos permite estudar as relações entre as variáveis “candidatas” a variável-objetivo em diversas escalas de tempo. No caso, utilizamos as escalas de tempo compreendidas entre 16 a 32 meses e entre 32 a 64 meses, regiões onde se caracterizam os movimentos dos ciclos econômicos.

Para cada escala de tempo foram selecionadas, das 325 variáveis “candidatas”, aquelas que antecipam, de forma significativa, a variável-objetivo entre 6 e 18 meses de antecedência. Selecionadas as variáveis “candidatas”, estas foram agregadas mediante a aplicação de componentes principais, após terem sido colocadas na mesma fase de 6 meses em relação à variável-objetivo.

O resultado composto, isto é, em cada escala de tempo, dos modelos de projeção entre a variável-objetivo e os componentes principais, colocado em base 100, constitui o Indicador Serasa Experian de Perspectiva.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.