Últimas Notícias

Notícias

Recuperação da economia e efeito calendário fazem inadimplência do consumidor cair em agosto

14/09/2009

A inadimplência do consumidor registrou queda de 5,1% em agosto, na comparação com julho/09, a maior queda mensal verificada desde maio deste ano. Segundo o Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor, a melhora na conjuntura econômica e o efeito calendário, considerando que agosto teve dois dias úteis a menos que julho, contribuíram para esse resultado.

Apesar de o Dia dos Pais ter sido a melhor data comemorativa do varejo este ano, até o momento, a melhora da atividade econômica, já verificada a partir do 2º trimestre, fez com que agosto não registrasse uma pressão na inadimplência mensal, segundo os analistas da Serasa Experian.

Na relação entre os acumulados de janeiro a agosto de 2009/2008, a inadimplência do consumidor, mesmo perdendo fôlego, apontou crescimento de 9,5%, patamar mais baixo nessa comparação, desde o final do 1º trimestre, quando foi registrado, no país, o pior período da crise financeira global. De acordo com os analistas, a recuperação econômica, a partir da metade de abril, com queda dos juros, recuperação do emprego, maior confiança do consumidor e retorno do crédito, tem contribuído para o decréscimo gradual da inadimplência no período.

Na relação anual, agosto 2009/2008, a evolução da inadimplência do consumidor foi de 7%, repetindo o patamar da relação julho 2009/2008. Na comparação, agosto representou o percentual mais baixo desde março deste ano (16,6%).

Dívidas com bancos lideram ranking

As dívidas com bancos lideraram o ranking de representatividade da inadimplência do consumidor, no período de janeiro a agosto de 2009, com uma participação no indicador de 44,2%. No mesmo período do ano anterior este percentual foi de 43,2%.

Em seguida estão as dívidas com cartões de crédito e financeiras que representaram 36,5% de janeiro a agosto deste ano. No acumulado de 2008, a participação da mesma modalidade foi de 32,5%.

Em terceiro lugar, aparecem os cheques sem fundos, com 17,4% no acumulado até agosto de 2009. No mesmo período de 2008, a participação no indicador foi de 22%.

Encerram o ranking os títulos protestados, que nos oito primeiros meses deste ano representaram 1,9%. De janeiro a agosto do ano passado, este percentual foi de 2,3%.

Cresce o valor médio das dívidas com cheques sem fundos

De janeiro a agosto de 2009, em comparação com igual período do ano anterior, os cheques sem fundos tiveram crescimento de 39,7% no valor médio das dívidas. Os títulos protestados apresentaram alta de 16,8%, na média. Já os cartões de crédito e financeiras e as dívidas com bancos registraram queda de 10,1% e 2,9%, respectivamente (veja tabela abaixo).

Metodologia do Indicador

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor, por analisar eventos ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições financeiras e cartões de crédito e financeiras.

A Serasa Experian facilita mais de 4 milhões de negócios por dia, para cerca de 400 mil clientes diretos ou indiretos. Em 2007, a Serasa – criada em 1968 –, uniu-se à Experian Company, líder mundial no mercado de informações, trazendo para o Brasil a experiência de mercados mais maduros. Hoje a nova marca Serasa Experian ampliou a oferta ao mercado brasileiro com modernas e inovadoras ferramentas para apoiar seus clientes em todas as etapas do negócio, desde a prospecção até a cobrança.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.