Últimas Notícias

Notícias

Demanda das empresas por crédito desacelera em junho

15/07/2009

Demanda das empresas por crédito desacelera em junho, 
aponta indicador da Serasa Experian

Demanda no mês passado cresceu mais nas grandes empresas e na região Sudeste

Depois de três meses consecutivos de crescimento na casa dos 5%, a demanda das empresas por crédito desacelerou no mês de junho. Segundo o Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito, a alta verificada em junho de 2009 foi de 0,9%. Embora tenha sido menor, o crescimento observado em junho foi a quarta alta mensal consecutiva na demanda das empresas por crédito, confirmando a atual trajetória de recuperação iniciada ao final do primeiro trimestre deste ano.

Em termos de variação anual, isto é, contra o mesmo mês do ano passado, junho de 2009 apresentou recuo de 2,3% ante junho de 2008, a menor queda do semestre neste critério de comparação. No acumulado do primeiro semestre de 2009, o recuo na demanda das empresas por crédito foi de 6,7% em relação ao acumulado de janeiro a junho de 2008.

Indicador Serasa Experian de Demanda de Crédito – PJ
(*) Mensal (**) Anual Acum. Ano
abr/09 mai/09 jun/09 abr/09 mai/09 jun/09 abr/09 mai/09 jun/09
Total 5,2% 5,5% 0,9% -13,0% -4,6% -2,3% -8,4% -7,6% -6,7%
Por Região
CO 0,9% 11,8% -0,9% -15,5% 1,8% 1,4% -10,2% -7,8% -6,3%
N 18,5% -7,3% 2,9% -6,4% 4,3% -0,3% -3,2% -1,7% -1,5%
NE 0,1% 16,8% -6,3% -13,4% -14,6% 5,3% -5,8% -8,0% -5,9%
S 3,0% 10,7% 0,0% -20,8% 4,4% -3,4% -12,2% -9,0% -8,0%
SE 7,1% 0,5% 3,9% -9,5% -6,4% -4,7% -7,7% -7,4% -6,9%
(*) sem ajuste sazonal
(**) em relação ao mesmo mês do ano anterior

A região que apresentou o maior crescimento na demanda das empresas por crédito em junho foi o Sudeste (alta de 3,9% em relação a maio/09), seguida pela região Norte (elevação de 2,9%). A região Sul apresentou estabilidade ao passo que foram verificadas quedas na demanda por crédito das empresas situadas nas regiões Nordeste (-6,3%) e Centro-Oeste (-0,9%). Vale notar que, no acumulado do primeiro semestre, a região Norte, com variação de -1,5%, foi a que registrou o menor recuo na demanda das empresas por crédito. Tal comportamento pode ser explicado pelo fato das medidas de isenção fiscal, implementadas pelo Governo Federal, terem impactado favoravelmente a atividade industrial de eletro-eletrônicos e motocicletas, importante para a atividade industrial daquela região.

 

(*) Mensal (**) Anual Acum. Ano
abr/09 mai/09 jun/09 abr/09 mai/09 jun/09 abr/09 mai/09 jun/09
Total 5,2% 5,5% 0,9% -13,0% -4,6% -2,3% -8,4% -7,6% -6,7%
Por Setor
Indústria 7,8% 3,8% -0,1% -12,7% -4,6% -5,7% -8,6% -7,7% -7,4%
Comércio 5,6% 4,3% 0,1% -12,7% -5,8% -4,0% -8,5% -8,0% -7,3%
Serviços 3,9% 7,3% 1,9% -13,6% -3,4% 0,4% -8,4% -7,3% -6,0%
Demais 12,5% -11,6% 2,2% 0,2% 2,2% 1,2%
(*) sem ajuste sazonal
(**) em relação ao mesmo mês do ano anterior

Na classificação por porte, o destaque no crescimento da demanda das empresas por crédito no mês de junho foram as grandes empresas com crescimento de 4,3%, seguidas pelas médias empresas com alta de 2,4% no mês passado. As micro e pequenas empresas apresentaram alta de 0,8% na procura por crédito no mês passado. No acumulado do primeiro semestre as micro e pequenas empresas foram as que mais recuaram as suas demandas por crédito mesmo porque foi justamente para este universo de empresas que o crédito ficou mais restrito, sobretudo nos meses subseqüentes ao agravamento da crise financeira internacional, ocorrido em setembro de 2008. Já para as grandes empresas, a queda na procura por crédito ao longo do primeiro semestre de 2009 foi de apenas 0,5% justificada, entre outros motivos, pelo fato de terem se voltado ao sistema financeiro doméstico dado o fechamento do mercado de captações internacionais.

(*) Mensal (**) Anual Acum. Ano
abr/09 mai/09 jun/09 abr/09 mai/09 jun/09 abr/09 mai/09 jun/09
Total 5,2% 5,5% 0,9% -13,0% -4,6% -2,3% -8,4% -7,6% -6,7%
Por Porte
MPE 5,6% 5,9% 0,8% -13,4% -4,5% -2,2% -8,7% -7,8% -6,9%
Médias -1,0% -0,5% 2,4% -7,0% -6,7% -4,5% -4,4% -4,8% -4,8%
Grandes -1,0% 0,7% 4,3% -2,2% -1,3% 2,8% -1,2% -1,2% -0,5%
(*) sem ajuste sazonal
(**) em relação ao mesmo mês do ano anterior

Na análise por setor econômico, Serviços continua se destacando na elevação da demanda por crédito, apontando alta de 1,9% em junho, seguido pelo Comércio (+0,1%). Somente a Indústria, com variação negativa de 0,1%, apontou queda na procura por crédito em junho. No acumulado do primeiro semestre, o setor de Serviços também registrou o melhor desempenho com recuo de 6,0%. A Indústria (-7,4%), por ter sido o setor que mais sentiu os impactos da crise, e o Comércio (-7,3%), devido a elevada concentração de pequenas empresas neste segmento, acusaram as maiores quedas na procura por crédito na comparação com o primeiro semestre do ano passado. 

Metodologia do indicador 

Empresas

Construído a partir de uma amostra significativa de CNPJs, cerca de 1,2 milhão, consultados mensalmente na base de dados da Serasa Experian. A quantidade de CNPJs consultados, especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre as empresas e instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras, é transformada em número índice (média de 2008 = 100). O início é 2008. O indicador é segmentado por região geográfica, setor e porte.  

Serasa Experian

O Indicador Serasa Experian da Demanda das Empresas por Crédito, lançado em 17 de março de 2009, nasce sob a marca Serasa Experian, que conjuga a força do nome Serasa no mercado brasileiro com a liderança mundial da Experian.

A Experian é líder global no mercado de informações, atuante em mais de 65 países de todos os continentes. Adquiriu o controle acionário da Serasa em junho de 2007. A partir da consumação do negócio, as duas empresas integraram pessoas, expertises, soluções e agora apresentam uma marca que representa uma identidade única. Uma já tinha amplo e profundo conhecimento do mercado brasileiro; a outra veio com experiência de atuação em mercados mais maduros. Hoje, a Serasa Experian oferece as mais modernas e inovadoras soluções de informação para apoiar validação de dados, decisões de crédito e de marketing direto, a empresas de todos os segmentos da economia, e de todos os portes.

Os 400 mil clientes da Serasa Experian, que demandam cerca de 4 milhões de consultas por dia, em todo o Brasil, para realizar seus negócios com segurança, continuam contando, mais do que nunca, com a tradição, o pioneirismo e a sólida credibilidade da maior empresa do mercado de soluções de informações da América Latina.

A Serasa Experian reafirma o seu compromisso de gestão comprometida com a máxima qualidade para seus 2.600 profissionais, seus clientes, seus acionistas, seus fornecedores e a sociedade, promovendo o desenvolvimento sustentável.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.