Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Março registra alta de 24% na inadimplência das empresas, segundo Serasa Experian

30/04/2009

Em março de 2009, a inadimplência das empresas cresceu 24%
na comparação com fevereiro último. É o que revela o Indicador Serasa
Experian de Inadimplência de Pessoa Jurídica
.

O levantamento também apontou alta nas variações anual e
acumulada. Na relação de março de 2009 frente a março de 2008, o aumento na
inadimplência das empresas foi de 50,7%. Já na comparação entre o primeiro
trimestre de 2009 e o mesmo período de 2008 a elevação foi de 33,1%.

No primeiro trimestre de 2009, o ranking da inadimplência
das pessoas jurídicas foi liderado pelos títulos protestados, que tiveram 41,6%
de representatividade no indicador. Nos três primeiros meses de 2008, esta
participação foi de 42,4%.

A seguir estão os cheques sem fundos, que de janeiro a
março de 2009 representaram 39,3% da inadimplência das empresas. No primeiro
trimestre de 2008, tal participação foi de 38,4%.

Fecham o ranking as dívidas com os bancos, que nos três
primeiros meses deste ano tiveram uma participação de 19,1% no indicador,
abaixo dos 19,2% verificados no mesmo período de 2008.

Valor médio das dívidas

 No período de janeiro a março de
2009, o valor médio das dívidas com os bancos foi de R$ 4.558,11, com alta de
3,3% ante o primeiro trimestre do ano anterior.

 Já os títulos protestados,
registraram nos três primeiros meses de 2009 um valor médio de R$ 1.803,09, o
que representou um crescimento de 24% na relação com o mesmo acumulado de
2008.

 Por fim, o valor médio dos
cheques sem fundos, de janeiro a março de 2009, foi de R$ 1.441,10, com 14,8%
de crescimento, frente aos três primeiros meses do ano anterior.


Análise

 Os técnicos da Serasa Experian
avaliam que a inadimplência nos negócios apresentou crescimento devido a menor
atividade econômica, sobretudo na indústria; à dificuldade das empresas em se
financiar no exterior; à situação das exportadoras, que sofrem com a recessão
(falta de demanda) nos países desenvolvidos; à desvalorização do real, posto
que as empresas endividadas em moeda estrangeira passaram a dever mais e ao
aumento da inadimplência do consumidor, que tem efeito direto na tesouraria das
empresas.

 Além disso, as pessoas jurídicas
também estavam mais endividadas no longo prazo, antes da chegada da crise no
Brasil (último trimestre 2008), para realizar investimentos frente ao
crescimento do mercado doméstico.

 Na comparação março com
fevereiro de 2009, o aumento é explicado também pelo efeito calendário, pois o
segundo mês do ano tem 17 dias úteis, enquanto março tem 22.


Metodologia

 O Indicador Serasa Experian
de Inadimplência de Pessoa Jurídica
, por analisar eventos ocorridos em todo
o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. O modelo
estatístico de múltiplas variáveis considera as variações registradas no número
de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas vencidas com instituições
financeiras.

 A Serasa Experian é a maior
empresa da América Latina em pesquisas, informações e análises
econômico-financeiras para apoiar decisões de crédito e negócios e referência
mundial no segmento. Participa ativamente no respaldo às decisões de crédito e
de negócios tomadas em todo o Brasil, facilitando aproximadamente 4 milhões de
negócios por dia, para mais de 400 mil clientes.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.