Últimas Notícias

Estudos Econômicos

Queda na demanda por crédito chega à alta renda

16/04/2009

O Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por
Crédito registrou elevação de 5,8% em março de 2009 em comparação ao mês
imediatamente anterior (fevereiro de 2009). Porém, este avanço não foi
suficiente para evitar que, no acumulado do primeiro trimestre de 2009, a
procura dos consumidores por crédito recuasse 4,3% em relação ao mesmo período
do ano passado.

Na relação com o mesmo mês
do ano anterior, março de 2009 registrou um recuo de 6,2% na procura dos
consumidores por crédito, significando um aprofundamento do movimento de queda
uma vez que em fevereiro a retração havia sido de 4,2% e em janeiro de 2,6%,
sempre na comparação com os respectivos meses de 2008.

Análise por
região

No corte regional, a
região Nordeste apresentou a maior queda percentual na procura das pessoas
físicas por crédito nos primeiros três meses de 2009: recuo de 11,4% em relação
ao 1º trimestre de 2008. A segunda maior queda de demanda por crédito no 1º
trimestre de 2009 ficou com o Sudeste (-4,6%), seguido pelo Norte (-2,7%) e
pelo Centro-Oeste (-1,4%). Apenas a região Sul, com crescimento de 1,3%,
encerrou os primeiros três meses de 2009 com variação positiva na procura dos
consumidores por crédito.

Em março de 2009,
comparativamente ao mesmo mês de 2008, registrou-se recuo de 10,2% na procura
dos consumidores por crédito na região Nordeste, queda de 7,8% no Sudeste,
variações de -2,0% na região Sul e de -1,6% no Centro-Oeste. A região Norte,
com variação anual de 2,1%, foi a única que apresentou crescimento em março de
2009 na comparação com o mesmo mês de 2008.

Indicador Serasa Experian de Demanda por Crédito -
PF
Mensal (*) Anual (**) Acum. Ano
jan/09 fev/09 mar/09 jan/09 fev/09 mar/09 jan/09 fev/09 mar/09
Total -3,6% -10,5% 5,8% -2,6% -4,2% -6,2% -2,6% -3,4% -4,3%
Por Região
CO -5,0% -8,1% 9,8% -1,8% -0,6% -1,6% -1,8% -1,2% -1,4%
N -9,2% -6,7% 5,4% -6,9% -2,9% 2,1% -6,9% -5,0% -2,7%
NE -4,6% -11,0% 11,7% -12,5% -11,6% -10,2% -12,5% -12,1% -11,4%
S -6,0% -6,5% 2,5% 2,6% 3,4% -2,0% 2,6% 3,0% 1,3%
SE -1,6% -12,5% 4,7% -0,9% -5,2% -7,8% -0,9% -3,0% -4,6%
(*) sem ajuste sazonal
(**) em relação ao mesmo mês do ano
anterior

Análise por classe de
renda pessoal mensal

Repetido o que ocorreu nos
dois primeiros meses de 2009, em março de 2009, a maior retração anual na
procura por crédito foi verificada nos consumidores de baixa renda pessoal, ou
seja, os que possuem rendimento mensal de até R$ 500,00 (queda de 10,3% em
relação a março de 2009). Entretanto, verificou-se queda expressiva (-8,3%) na
procura dos consumidores de alta renda (ganhos mensais acima de R$ 10.000,00)
no mês de março. Nas demais camadas de renda todas as variações anuais,
negativas, situaram-se entre -4,8% (rendimento entre R$ 500,00 e R$ 1.000,00) e
-6,4% (rendimento entre R$ 2.000,00 e R$ 5.000,00).

No acumulado do primeiro
trimestre de 2009, a baixa renda (pessoas com ganhos mensais de até R$ 500,00)
continua liderando a queda na procura dos consumidores por crédito (recuo de
9,3% no 1º trimestre.). Já os consumidores de alta renda registram, no
acumulado do primeiro trimestre de 2009, a segunda maior queda na procura por
crédito: -4,5% em relação ao 1º trimestre de 2008. As demais faixas de renda
oscilam entre variações negativas de -3,1% a -4,4%.

Mensal (*) Anual (**) Acum. Ano
jan/09 fev/09 mar/09 jan/09 fev/09 mar/09 jan/09 fev/09 mar/09
Total -3,6% -10,5% 5,8% -2,6% -4,2% -6,2% -2,6% -3,4% -4,3%
Por Classe de
Renda Mensal
até R$ 500
/ mês
-6,5% -11,8% 5,4% -8,1% -9,5% -10,3% -8,1% -8,7% -9,3%
R$ 500 a
R$ 1.000
/ mês
-5,0% -11,0% 6,0% -1,6% -3,0% -4,8% -1,6% -2,3% -3,1%
R$ 1.000 a
R$ 2.000
/ mês
-2,4% -10,2% 6,3% -2,9% -4,2% -6,3% -2,9% -3,5% -4,4%
R$ 2.000 a
R$ 5.000
/ mês
-2,1% -9,5% 4,5% -1,2% -4,2% -6,4% -1,2% -2,6% -3,9%
R$ 5.000 a
R$ 10.000
/ mês
-1,7% -9,3% 4,1% 0,2% -4,7% -6,3% 0,2% -2,2% -3,6%
mais de
R$ 10.000
/ mês
-2,0% -8,3% 3,0% -1,2% -3,9% -8,3% -1,2% -2,5% -4,5%
(*) sem ajuste sazonal
(**) em relação ao mesmo mês do ano
anterior

Metodologia do
indicador

 Consumidor

Construído a partir de uma
amostra significativa de CPFs, cerca de 11,5 milhões, consultados mensalmente
na base de dados da Serasa Experian. A quantidade de CPFs consultados,
especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre
os consumidores e instituições do sistema financeiro ou empresas não
financeiras, é transformada em número índice (média de 2008 = 100). O início é
2008. O novo indicador é segmentado por região geográfica e por classe de
rendimento mensal. 

 Serasa
Experian

O Indicador Serasa
Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, lançado em 17 de março de 2009,
nasce sob a marca Serasa Experian, que conjuga a força do nome Serasa no
mercado brasileiro com a liderança mundial da Experian.

A Experian é
líder global no mercado de informações, atuante em mais de 65 países de todos
os continentes. Adquiriu o controle acionário da Serasa em junho de 2007. A
partir da consumação do negócio, as duas empresas integraram pessoas,
expertises, soluções e agora apresentam uma marca que representa uma identidade
única. Uma já tinha amplo e profundo conhecimento do mercado brasileiro; a
outra veio com experiência de atuação em mercados mais maduros. Hoje, a Serasa
Experian oferece as mais modernas e inovadoras soluções de informação para
apoiar validação de dados, decisões de crédito e de marketing direto, a
empresas de todos os segmentos da economia, e de todos os portes.

Os 400 mil
clientes da Serasa Experian, que demandam cerca de 4 milhões de consultas por
dia, em todo o Brasil, para realizar seus negócios com segurança, continuam
contando, mais do que
nunca, com a
tradição, o pioneirismo e a sólida credibilidade da maior empresa do mercado de
soluções de informações da América Latina.

A Serasa Experian reafirma o seu
compromisso de gestão comprometida com
a
máxima qualidade para seus 2.6
00 profissionais, seus
clientes, seus acionistas, seus fornecedores e a sociedade, promovendo o
desenvolvimento sustentável.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.