Últimas Notícias

Estudos Econômicos

Crise financeira afastou o consumidor e as empresas do crédito

17/03/2009

A Serasa Experian lançou, em 17 de março de 2009, dois
indicadores: o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito e
o Indicador Serasa Experian da Demanda das Empresas por Crédito. Os índices são
inéditos no país e mensuram a procura por crédito das pessoas físicas e
jurídicas durante um determinado mês.

O novo indicador aponta que em fevereiro deste ano 10,5% a
menos dos brasileiros procuraram crédito em relação ao mês anterior.
Comparativamente ao mesmo mês do ano passado (fevereiro de 2008), o recuo foi
de 4,2%. No acumulado do primeiro bimestre se verificou retração de 3,3% em
comparação com o primeiro bimestre de 2008.

Análise por região

No corte regional, a região Sudeste apresentou a maior
queda percentual na procura das pessoas físicas por crédito em fevereiro de
2009: recuo de 12,4% em relação a janeiro de 2009. A segunda maior queda de
demanda por crédito em fevereiro de 2009 ficou com o Nordeste (-10,9%), seguida
pelo Centro-Oeste (-8,1%), Norte (-6,6%) e Sul (-6,5%).

Em comparação com o mesmo mês do ano passado, o Nordeste
apresentou variação negativa de -11,5%, seguido do Sudeste (-5,2%), Norte
(-2,8%) e Centro-Oeste (-0,6%). A única região que demonstrou aumento da
demanda por crédito em fevereiro de 2009 comparativamente a fevereiro de 2008
foi a Sul (+3,4%).

Nordeste acumula a maior queda nos primeiros dois meses de
2009, quando comparado com o mesmo período de 2008: -12,0%. Excluindo-se a
região Sul (+3,0%), todas as demais também apresentam queda no acumulado do
ano: Norte (-4,9%), Sudeste (-2,9%), Centro-Oeste (-1,3%).

 

Mensal (*) Anual (**) Acum. Ano

 

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

Total

-3,6%

-10,5%

-2,6%

-4,2%

-2,6%

-3,3%

Por Região

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CO

-5,0%

-8,1%

-1,8%

-0,6%

-1,8%

-1,3%

 

 

 

 

 

 

N

-9,1%

-6,6%

-6,8%

-2,8%

-6,8%

-4,9%

 

 

 

 

 

 

NE

-4,5%

-10,9%

-12,4%

-11,5%

-12,4%

-12,0%

 

 

 

 

 

 

S

-6,1%

-6,5%

2,6%

3,4%

2,6%

3,0%

 

 

 

 

 

 

SE

-1,6%

-12,4%

-0,8%

-5,2%

-0,8%

-2,9%

(*) sem ajuste sazonal

 

 

 

 

 

 

(**) em relação ao mesmo mês do ano
anterior

 

 

 

 

Análise por classe de renda pessoal mensal

A retração foi verificada em todas as classes de renda
pessoal. As pessoas que ganham até R$ 500 por mês foram as que mais se
afastaram do crédito. Em fevereiro deste ano, caiu 12,2% a procura por crédito
nesta classe de renda em relação a janeiro de 2009. Nas demais classes, a queda
diminui à medida que aumenta a renda do brasileiro, sendo que as pessoas com
rendimento mensal superior a R$ 10.000,00 foram a que menos se retraíram na
procura por crédito em fevereiro de 2009: -7,9%.

No acumulado do ano, a classe mais baixa de renda também
foi a que mais se retraiu na procura por crédito: -8,9%. As demais classes
registraram quedas variando entre -2,2% (renda mensal acima de R$ 10.000,00) e
-3,3% (renda mensal entre R$ 1.000,00 a R$ 2.000,00).

 

Mensal (*) Anual (**) Acum. Ano

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

Total

-3,6%

-10,5%

-2,6%

-4,2%

-2,6%

-3,3%

Por Classe de Renda
Mensal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

até R$ 500 /
mês

-6,4%

-12,2%

-8,0%

-9,9%

-8,0%

-8,9%

 

 

 

 

 

 

R$ 500 a R$ 1.000 /
mês

-5,0%

-11,2%

-1,6%

-3,1%

-1,6%

-2,3%

 

 

 

 

 

 

R$ 1.000 a R$ 2.000 /
mês

-2,4%

-9,9%

-2,8%

-3,8%

-2,8%

-3,3%

 

 

 

 

 

 

R$ 2.000 a R$ 5.000 /
mês

-2,1%

-9,6%

-1,2%

-4,3%

-1,2%

-2,7%

 

 

 

 

 

 

R$ 5.000 a R$ 10.000 /
mês

-1,7%

-9,4%

0,1%

-4,9%

0,1%

-2,3%

 

 

 

 

 

 

mais de R$ 10.000 /
mês

-1,9%

-7,9%

-1,1%

-3,4%

-1,1%

-2,2%

(*) sem ajuste sazonal

 

 

 

 

 

 

(**) em relação ao mesmo mês do ano
anterior

 

 

 

 

Pequenas empresas foram as mais afetadas

O Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por
Crédito aponta que caiu em 10,8% a procura por crédito em todo o Brasil, em
fevereiro de 2009 com relação a janeiro/09. Na comparação com o mesmo mês do
ano passado (fevereiro/08) a queda é de 4,4%. Já no acumulado do ano, o recuo é
de 6,7% em relação ao primeiro bimestre de 2008.

No bimestre, a região que apresentou a maior queda foi a
Sul, retração de 9,7% em relação ao mesmo período de 2008. Seguida de perto por
Sudeste (-6,3%), Centro-Oeste (-6,1%), Nordeste (-6,1%). Já a região Norte teve
a menor queda, -2,0%.

 

(*) Mensal (**) Anual Acum. Ano

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

Total

13,3%

-10,8%

-8,7%

-4,4%

-8,7%

-6,7%

Por
Região

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CO

7,9%

-11,6%

-7,9%

-4,0%

-7,9%

-6,1%

 

 

 

 

 

 

N

20,9%

-15,3%

0,8%

-5,2%

0,8%

-2,0%

 

 

 

 

 

 

NE

14,2%

-6,9%

-16,4%

8,5%

-16,4%

-6,0%

 

 

 

 

 

 

S

13,8%

-10,3%

-12,5%

-6,4%

-12,5%

-9,7%

 

 

 

 

 

 

SE

13,1%

-11,6%

-5,6%

-7,1%

-5,6%

-6,3%

(*) sem ajuste sazonal

 

 

 

 

 

 

(**) em relação ao mesmo mês do ano
anterior

 

 

 

 

Em fevereiro, as micro e pequenas
empresas foram as que mais se afastaram do crédito, registrando queda de 11,4%.
As médias empresas apresentaram recuo de 2,1% e as grandes sofreram queda menor
na demanda por crédito, (-0,4%).

No acumulado do primeiro bimestre, também as micro e
pequenas empresas demonstraram o maior recuo na demanda por crédito:
-7,0%.

 

(*) Mensal (**) Anual Acum. Ano

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

Total

13,3%

-10,8%

-8,7%

-4,4%

-8,7%

-6,7%

Por Porte

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MPE

14,2%

-11,4%

-9,1%

-4,5%

-9,1%

-7,0%

 

 

 

 

 

 

Médias

2,3%

-2,1%

-3,6%

-3,0%

-3,6%

-3,3%

 

 

 

 

 

 

Grandes

0,7%

-0,4%

-1,1%

-0,7%

-1,1%

-0,9%

Na análise por segmento, o indicador
apontou quedas generalizadas e muito parecidas na busca por crédito: o setor de
Serviços teve recuo de 12,4% , na comparação mensal (), seguido pela Indústria
(-11%) e pelo Comércio (-9,6%).
 

 

(*) Mensal (**) Anual Acum. Ano

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

jan/09

fev/09

Total

13,3%

-10,8%

-8,7%

-4,4%

-8,7%

-6,7%

Por Setor

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Indústria

16,3%

-11,0%

-6,1%

-4,8%

-6,1%

-5,5%

 

 

 

 

 

 

Comércio

14,7%

-9,6%

-8,3%

-4,3%

-8,3%

-6,4%

 

 

 

 

 

 

Serviços

10,6%

-12,4%

-10,4%

-4,7%

-10,4%

-7,8%

(*) sem ajuste sazonal

 

 

 

 

 

 

(**) em relação ao mesmo mês do ano
anterior

 

 

 

 

Lançamento 

A Serasa Experian criou os indicadores para que a sociedade
– gestores privados e públicos, autoridades econômicas, executivos, acadêmicos,
estudantes e interessados em geral – tenha uma importante e inédita ferramenta
para compreender como os agentes econômicos se comportam frente aos eventos
conjunturais no âmbito do crédito. Sendo o componente mais sensível da economia
em relação às expectativas e com efeito direto na atividade econômica e nas
decisões de investimentos, o crédito deve ser bem monitorado.

“Presente em diversas economias desenvolvidas, o Indicador
da Demanda por Crédito é um verdadeiro termômetro do grande financiador da
economia. Crédito é sinônimo de desenvolvimento, de investimentos, de educação
e de qualidade de vida das pessoas”, afirma o presidente da Serasa Experian,
Francisco Valim.

Os novos indicadores nascem sob a marca Serasa Experian,
que conjuga a força do nome Serasa no mercado brasileiro com a liderança
mundial da Experian.

“O novo nome, Serasa Experian, nasceu sintetizando união,
tradição, evolução e qualidade, para a empresa, a comunidade, seus clientes e
os negócios, de maneira ampla”, resume Francisco Valim, presidente da Serasa
Experian.

A Experian é líder global no mercado de informações,
atuante em mais de 65 países de todos os continentes. Adquiriu o controle
acionário da Serasa em junho de 2007. A partir da consumação do negócio, as
duas empresas integraram pessoas, expertises, soluções e agora apresentam uma
marca que representa uma identidade única. Uma, já tinha amplo e profundo
conhecimento do mercado brasileiro; a outra, veio com experiência de atuação em
mercados mais maduros. Hoje, a Serasa Experian oferece as mais modernas e
inovadoras soluções de informação para apoiar validação de dados, decisões de
crédito e de marketing direto, a empresas de todos os segmentos da economia, e
de todos os portes.

Os 400 mil clientes da Serasa Experian, que demandam
cerca de 4 milhões de consultas por dia, em todo o Brasil, para realizar seus
negócios com segurança, continuam contando, mais do que nunca, com a tradição,
o pioneirismo e a sólida credibilidade da maior empresa do mercado de soluções
de informações da América Latina.

A Serasa Experian reafirma o seu compromisso de gestão
comprometida com a máxima qualidade para seus 2.500 profissionais, seus
clientes, seus acionistas, seus fornecedores e a sociedade, promovendo o
desenvolvimento sustentável.

Metodologia

Consumidor

Construído a partir de uma amostra significativa de CPFs,
cerca de 11,5 milhões, consultados mensalmente na base de dados da Serasa
Experian. A quantidade de CPFs consultados, especificamente nas transações que
configuram alguma relação creditícia entre os consumidores e instituições do
sistema financeiro ou empresas não financeiras, é transformada em número índice
(média de 2008 = 100). O início é 2008. O novo indicador é segmentado por
região geográfica e por classe de rendimento mensal. 

Empresas

Construído a partir de uma amostra significativa de 1,2
milhão de CNPJs consultados mensalmente na base. A quantidade de CNPJs
consultados, também nas transações que signifiquem alguma relação creditícia
das empresas com instituições financeiras ou com empresas não financeiras, é
transformada em número índice (média de 2008 = 100). O novo indicador é
segmentado por região geográfica, porte e setor.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.