Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Inadimplência dos consumidores recua 8,9% em fevereiro, revela Serasa Experian

12/03/2009

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência de Pessoa
Física
apontou queda de 8,9% na inadimplência dos consumidores em fevereiro
de 2009, frente a janeiro. Já na comparação entre o 1º bimestre de 2009 e o 1º
bimestre de 2008, a inadimplência das pessoas físicas aumentou 8,6%. A alta
também foi verificada na variação anual (fevereiro de 2009 sobre fevereiro de
2008), quando houve um crescimento de 4,5% na inadimplência das pessoas
físicas.

No primeiro bimestre de 2009, o ranking de
representatividade da inadimplência dos consumidores foi liderado pelas dívidas
com os bancos, que tiveram participação de 43,4% no indicador. Em 2008, no
mesmo acumulado, esta representação foi de 42,8%.

As dívidas com cartões de crédito e
financeiras aparecem a seguir, com 37% de representatividade na inadimplência
dos consumidores nos dois primeiros meses de 2009. No primeiro bimestre de
2008, este percentual foi de 31,1%.

Na terceira posição estão os cheques
devolvidos, que no acumulado de janeiro e fevereiro de 2009 representaram 17,7%
da inadimplência dos consumidores, abaixo dos 23,8% verificados nos dois
primeiros meses de 2008.

 

Os títulos protestados fecham o
ranking, com uma participação no indicador de 1,9% no primeiro bimestre de
2009. Nos dois primeiros meses de 2008, tal representatividade foi de
2,3%.

 

Valor médio das
dívidas

 

No acumulado de janeiro e fevereiro de
2009, o valor médio das dívidas com cartões de crédito e financeiras foi de R$
357,07, isto é 5,5% a menos que no mesmo período de 2008. Já as dívidas com os
bancos tiveram, nos dois primeiros meses de 2009, um valor médio de R$
1.371,13, o que representou um decréscimo de 3% ante o valor obtido no primeiro
bimestre do ano anterior.

 

Os títulos protestados, por sua vez,
apresentaram no acumulado de janeiro e fevereiro de 2009, um valor médio de R$
1.050,90, resultando em 14,5% de elevação sobre os dois primeiros meses de
2008.

 

Por fim, o valor médio dos cheques
devolvidos foi de R$ 823,15 no primeiro bimestre de 2009, o que configurou em
29,9% de crescimento sobre o acumulado de janeiro e fevereiro de
2008.  

 

Análise

 

Os técnicos da Serasa Experian afirmam
que o aumento de 8,6% na inadimplência das pessoas físicas no comparativo entre
os primeiros bimestres de 2009 e 2008 e o crescimento de 4,5% entre fevereiro
2009/2008 refletem a maior dificuldade da população em honrar seus
compromissos, sobretudo os de prazos mais longos.  Os efeitos da crise
financeira internacional, no que diz respeito ao desemprego, têm sido
determinante para a inadimplência do consumidor.

Vale considerar também a falta de
disciplina financeira de alguns consumidores, principalmente na utilização do
cheque especial, que cria outra pressão sobre o orçamento doméstico e facilita
o acúmulo de compromissos.

 

Por outro lado, a diminuição de 8,9%
na inadimplência de fevereiro em relação a janeiro corresponde ao menor número
de dias úteis no segundo mês do ano.

 

Metodologia

 

O Indicador Serasa Experian de
Inadimplência de Pessoa Física
, por analisar eventos ocorridos em todo o
Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. O modelo
estatístico de múltiplas variáveis considera as variações registradas no número
de cheques sem fundos, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições
financeiras e cartões de crédito e financeiras.

 

A Serasa Experian facilita mais de 4
milhões de negócios por dia, para cerca de 400 mil clientes diretos ou
indiretos. Em 2007, a Serasa – criada em 1968 -, uniu-se à Experian Company,
líder mundial no mercado de informações, trazendo para o Brasil a experiência
de mercados mais maduros. Hoje a nova marca Serasa Experian ampliou a oferta ao
mercado brasileiro com modernas e inovadoras ferramentas para apoiar seus
clientes em todas as etapas, desde a prospecção até a cobrança.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.