Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Inadimplência das empresas fecha 2008 com alta de 4,8%, revela Serasa Experian

26/01/2009

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência de Pessoa
Jurídica
apontou crescimento de 4,8% na inadimplência das empresas em 2008
na comparação com 2007. Na relação dezembro de 2008 com dezembro de 2007, a
inadimplência das pessoas jurídicas cresceu 36,1%, a maior alta desde 1999. Já
na variação mensal, dezembro de 2008 sobre novembro último, o aumento foi de
5,9%.

Em 2008, o ranking de
representatividade da inadimplência das empresas foi liderado pelos títulos
protestados, com 41,7% de participação no indicador. Em 2007, os protestos
representaram 40,7%.

Na segunda colocação do ranking, os
cheques devolvidos apareceram com 39,1% de representatividade na inadimplência
das empresas, em 2008. No ano anterior, os cheques sem fundos foram
responsáveis por 38,2% da inadimplência das pessoas jurídicas.

As dívidas com os bancos fecham o
ranking, com uma participação na inadimplência das empresas de 19,2% em 2008, e
21,1% em 2007.

Valor médio das dívidas

Em 2008, o valor médio das dívidas com
as instituições financeiras foi de R$ 4.396,82, o que representou 6,2% de
elevação ante 2007. Quanto aos títulos protestados, o valor médio em 2008 foi
de R$ 1.587,13, com alta de 7,3% sobre 2007.

Os cheques devolvidos apresentaram em
2008 um valor médio de R$ 1.331,12, representando um crescimento de 13,4%
quando comparado com 2007.

Análise

Segundo os técnicos da Serasa
Experian, a crise financeira internacional impactou a inadimplência das
empresas. Os juros elevados, a menor oferta de crédito, as concessões mais
conservadoras e um novo patamar da demanda, estabelecendo maiores estoques,
definiram as dificuldades para as empresas. Além disso, a maior inadimplência
dos consumidores agravou esse quadro.

Foram afetados o capital de giro, os
investimentos e a geração de receitas, entre outros aspectos. O impacto da
crise fica evidente na análise dos acumulados do ano de 2008. A partir de
novembro a inadimplência das empresas interrompe as sucessivas quedas,
iniciadas em março, e se torna positiva, mais do que dobrando entre os meses do
último bimestre (alta de 2,1% até novembro e de 4,8%, até dezembro).

Vale lembrar que nos últimos dois anos
as empresas tomaram mais crédito que o consumidor, refletindo, até então, os
novos investimentos, que agora estão sendo revistos. A Serasa Experian destaca
que o gerenciamento do risco se torna ainda mais determinante nessa nova
conjuntura.

Metodologia

O Indicador Serasa Experian de
Inadimplência Pessoa Jurídica
, por analisar eventos ocorridos em todo o
Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. O modelo
estatístico de múltiplas variáveis considera as variações registradas no número
de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas vencidas com instituições
financeiras.

A Serasa Experian é a maior empresa do
Brasil em pesquisas, informações e análises econômico-financeiras para apoiar
decisões de crédito e negócios e referência mundial no segmento. Participa
ativamente no respaldo às decisões de crédito e de negócios tomadas em todo o
Brasil, facilitando aproximadamente 4 milhões de negócios por dia, para mais de
400 mil clientes diretos ou indiretos.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.