Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Inadimplência com cheques recua 1,5% de janeiro a setembro, revela indicador da Serasa

22/10/2008

O volume de cheques devolvidos, por falta de fundos, a cada mil compensados
apresentou queda de 1,5% em todo o país. Segundo o Indicador Serasa de Cheques
sem Fundos houve 19,5 cheques devolvidos por mil compensados de janeiro a
setembro de 2008, contra 19,8 no acumulado dos nove meses de 2007.

Foram registrados, no país, 1,05 bilhão de cheques compensados, de janeiro a
setembro deste ano, e 20,50 milhões de cheques foram devolvidos por
insuficiência de fundos. Nos nove meses do ano passado, os cheques compensados
totalizaram 1,15 bilhão e os devolvidos foram 22,86 milhões.

Já na relação setembro de 2008 ante setembro de 2007, o número de cheques
devolvidos, por falta de fundos, a cada mil compensados aumentou 1,1%. Em
setembro deste ano, foram devolvidos 17,9 cheques por mil compensados e em
setembro de 2007, foram 17,7 cheques devolvidos a cada mil compensados.

Houve 119,49 milhões de cheques compensados, no país, em setembro de 2008 e
2,14 milhões foram devolvidos por falta de fundos. Em setembro de 2007, os
cheques devolvidos somaram 2,05 milhões, e houve um total de 115,95 milhões de
compensados.

Ainda de acordo com o indicador da Serasa, uma empresa do grupo Experian, na
variação mensal (setembro sobre agosto de 2008) os cheques sem fundos a cada
mil compensados permaneceram praticamente estáveis (com variação negativa de
0,6%). Em agosto deste ano, foram compensados 110,08 milhões de cheques e
devolvidos 1,99 milhão, o que representou 18,0 cheques devolvidos a cada mil
compensados.

Análise

Para os técnicos da Serasa, a queda da inadimplência com cheques, entre
janeiro e setembro de 2008, em relação ao mesmo período do ano anterior, pode
ser explicada pela migração da dificuldade dos consumidores em honrar suas
dívidas do cheque pré-datado para outras formas de financiamento como dívidas
junto à instituições financeiras e administradoras de cartão de crédito, por
exemplo. O aumento da inadimplência da pessoa física face à diminuição do
número de cheques devolvidos reforça esse argumento.

As condições de crédito também têm piorado ao longo do ano, devido ao
aumento nos custos dos financiamentos, em razão da elevação do IOF, da Selic e
do spread bancário, e, recentemente, ao maior grau de incerteza causado pela
crise financeira global. Com isso, os bancos e as financeiras têm adotado
medidas mais rígidas para concessão de empréstimos, o que prejudica a
utilização do cheque como meio de pagamento disponível.

Por outro lado, no comparativo de setembro de 2008 ante o mesmo mês de 2007,
o volume de cheque devolvidos a cada mil compensados aumentou 1,1%, reflexo da
alta dos juros e do maior grau de endividamento do consumidor, que pressionam a
inadimplência com cheques.

Nos Estados brasileiros

*Veja abaixo o ranking de cheques devolvidos a cada mil compensados, nos
nove meses de 2008, por Estado.

ESTADOS/REGIÕES JAN – SET 2008

1 RORAIMA 84,4

2 MARANHÃO 68,6

3 ACRE 65,0

4 AMAPÁ 62,0

5 TOCANTINS 57,1

6 SERGIPE 52,8

7 RIO GRANDE DO NORTE 51,3

8 ALAGOAS 51,1

9 PARAÍBA 49,6

10 PIAUÍ 44,7

11 PARÁ 43,5

12 MATO GROSSO 37,2

13 BAHIA 31,5

14 RONDÔNIA 30,7

15 AMAZONAS 29,2

16 CEARÁ 27,5

17 DISTRITO FEDERAL 27,1

18 ESPÍRITO SANTO 22,6

19 GOIÁS 22,2

20 PERNAMBUCO 21,3

RIO GRANDE DO SUL 19,8

21 BRASIL 19,5

22 RIO DE JANEIRO 18,6

23 MINAS GERAIS 17,9

24 SANTA CATARINA 17,8

25 PARANÁ 16,7

26 MATO GROSSO DO SUL 16,4

27 SÃO PAULO 15,3

1 REGIÃO NORTE 41,9

2 REGIÃO NORDESTE 33,4

3 REGIÃO CENTRO-OESTE 24,3

4 REGIÃO SUL 18,1

5 REGIÃO SUDESTE 16,5

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.