Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Recuo de 2,9% na inadimplência das empresas de janeiro a agosto

25/09/2008

No acumulado de janeiro a agosto de 2008, em comparação com o mesmo período
de 2007, a inadimplência das empresas diminuiu 2,9%, revela o Indicador Serasa
de Inadimplência de Pessoa Jurídica.

O levantamento da Serasa, uma empresa do grupo Experian, ainda apontou queda
de 8,1% na inadimplência das pessoas jurídicas na comparação entre agosto de
2008 e agosto de 2007. Já na relação mensal, agosto de 2008 com julho último, o
recuo na inadimplência das empresas foi de 8%.

Os títulos protestados seguem liderando o ranking de representatividade na
inadimplência das empresas, com uma participação de 42% no indicador até agosto
de 2008. No ano anterior, em igual período, esta representação foi de
40,1%.

Em seguida estão os cheques devolvidos, que de janeiro a agosto deste ano
representaram 38,8% da inadimplência das pessoas jurídicas. No mesmo acumulado
de 2007, o peso dos cheques sem fundos na inadimplência das empresas foi de
38,3%.

Fecham o ranking as dívidas com os bancos, com participação no indicador de
19,2% de janeiro a agosto de 2008. Em 2007, até o oitavo mês do ano, as
pendências com as instituições financeiras tiveram representatividade de 21,5%
na inadimplência das pessoas jurídicas.

Valor médio das dívidas

Nos oito primeiros meses de 2008, as dívidas com os bancos tiveram um valor
médio de R$ 4.413,98, o que representou alta de 7%, na comparação com o valor
médio registrado no mesmo período de 2007.

Já os títulos protestados, até agosto de 2008, obtiveram um valor médio de
R$ 1.500,30, com elevação de 1,8% ante o valor somado de janeiro a agosto do
ano anterior.

Por fim, os cheques sem fundos registraram valor médio de R$ 1.283,9 de
janeiro a agosto deste ano, resultando em 11,9% de aumento, quando comparado
com o acumulado dos oito primeiros meses de 2007.

Análise

De acordo com os técnicos da Serasa, a inadimplência das empresas, em todas
as comparações, apresentou queda devido ao bom desempenho das vendas e da
produção do mercado interno, no período.

Aliado a isso, as empresas estão tomando mais crédito que os consumidores em
2008, para financiar seus investimentos em ampliação de plantas, instalações e
automação. Até julho, as estatísticas do Banco Central mostram que as empresas
já têm 22,4% de evolução do crédito no ano, enquanto os consumidores, 16,3%.
Com o maior dinamismo da economia, as empresas conseguem gerir melhor os seus
recursos, e o de terceiros.

Destaca-se que o período avaliado neste levantamento ainda não contempla o
agravamento da crise financeira no mercado global, ocorrido a partir de 8 de
setembro. Dessa forma, até julho, a elevação dos juros limitou o impacto nas
decisões empresariais, por conta do alongamentos nos prazos de concessão de
crédito, que tornou os pagamentos mensais adequados ao orçamento.

Metodologia

O Indicador Serasa de Inadimplência de Pessoa Jurídica, por analisar eventos
ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito
nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações
registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas
vencidas com as instituições financeiras.

A Serasa, uma empresa do grupo Experian, é a maior empresa do Brasil em
pesquisas, informações e análises econômico-financeiras para apoiar decisões de
crédito e negócios e referência mundial no segmento. Participa ativamente no
respaldo às decisões de crédito e de negócios tomadas em todo o Brasil,
facilitando aproximadamente 4 milhões de negócios por dia, para mais de 400 mil
clientes diretos ou indiretos.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.