Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Queda de 2,1% na inadimplência das empresas até julho

27/08/2008

No período de janeiro a julho de 2008 o Indicador Serasa de Inadimplência de
Pessoa Jurídica apontou um recuo de 2,1% na inadimplência das empresas quando
comparado com o mesmo acumulado de 2007.

O indicador da Serasa, uma empresa do grupo Experian, revela ainda que em
julho deste ano a inadimplência das pessoas jurídicas ficou estável na relação
com julho de 2007. Já na variação mensal, julho de 2008 com junho último, houve
um aumento de 6,8%.

De janeiro a julho de 2008 o ranking de representatividade da inadimplência
das empresas seguiu liderado pelos títulos protestados, que tiveram uma
participação de 42,1% no indicador. Nos sete primeiros meses do ano anterior,
esta representação foi de 40%.

Em seguida, com 38,7% de participação na inadimplência das empresas até
julho de 2008, estão os cheques sem fundos. De janeiro a julho de 2007, os
cheques sem fundos tiveram representatividade de 38,4% no indicador.

Já as dívidas com os bancos, nos sete primeiros meses deste ano,
representaram 19,2% da inadimplência das empresas. Até julho de 2007, este
percentual foi de 21,6%.

Análise

O Indicador Serasa de Inadimplência de Pessoa Jurídica mostra uma situação
oposta à verificada na inadimplência do consumidor. Na pessoa jurídica, há
queda no acumulado do ano (-2,1%), enquanto na física houve crescimento (6,9%)
de janeiro a julho.

Os técnicos da Serasa afirmam que mesmo demandando mais crédito, as empresas
estão tendo os devidos cuidados ao tomar recursos de terceiros, sobretudo em um
ambiente de juros elevados, contribuindo para que a inadimplência siga em
queda. Em 2008, no acumulado até julho, o crédito para as empresas subiu 22,4%
e para o consumidor 16,3%. As organizações estão investindo em ampliação das
plantas, instalações e automação.

Por outro lado, há problemas na concessão de crédito das empresas aos
consumidores, pois a inadimplência das pessoas físicas está subindo, apesar de
ainda não ter batido na tesouraria das organizações. Portanto, não há tendência
definida para a inadimplência das empresas neste 2º semestre.

Ainda segundo os técnicos da Serasa, o expressivo aumento verificado na
comparação julho com junho, deve-se, a princípio, ao maior número de dias úteis
no sétimo mês do ano.

Valor médio das dívidas

As dívidas com os bancos, até julho de 2008, tiveram um valor médio de R$
4.405,53, com elevação de 7,8% ante o mesmo acumulado do ano anterior.

Quanto aos títulos protestados, o valor médio obtido de janeiro a julho de
2008 foi de R$ 1.495,38, resultando em alta de 2,3% quando comparado aos sete
primeiros meses de 2007.

Os cheques devolvidos, por sua vez, apresentaram um valor médio de R$
1.276,76 até o sétimo mês deste ano, o que representou crescimento de 11,7% sob
o valor obtido no acumulado de janeiro a julho de 2007.

Metodologia

O Indicador Serasa de Inadimplência de Pessoa Jurídica, por analisar eventos
ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito
nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações
registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas
vencidas com instituições financeiras. É divulgado mensalmente pela Serasa,
desde 2002.

A Serasa, uma empresa do grupo Experian, é a maior empresa do Brasil em
pesquisas, informações e análises econômico-financeiras para apoiar decisões de
crédito e negócios e referência mundial no segmento. Participa ativamente no
respaldo às decisões de crédito e de negócios tomadas em todo o Brasil,
facilitando aproximadamente 4 milhões de negócios por dia, para mais de 400 mil
clientes diretos ou indiretos.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.