Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Inadimplência dos consumidores avança 6,9% até julho, revela Serasa

14/08/2008

No acumulado de janeiro a julho de 2008, o Indicador Serasa de Inadimplência
de Pessoa Física apontou alta de 6,9% na inadimplência dos consumidores, na
comparação com o mesmo período de 2007.

O aumento também foi verificado na relação entre julho de 2008 e julho de
2007, com 11,6% de elevação na inadimplência das pessoas físicas. Já na
comparação entre julho de 2008 e junho último, o indicador da Serasa, uma
empresa do grupo Experian, mostrou crescimento de 6,7% na inadimplência dos
consumidores.

De janeiro a julho de 2008, o ranking de representatividade da inadimplência
das pessoas físicas foi liderado pelas dívidas com os bancos, que tiveram 43,2%
de participação no indicador. Em 2007, até julho, este percentual foi de
38,3%.

Em seguida, com representação de 32,2% na inadimplência dos consumidores,
nos sete primeiros meses de 2008, estão as dívidas com cartões de crédito e
financeiras. No mesmo período do ano anterior, essas pendências tiveram
participação de 30,9% no indicador.

Na terceira colocação do ranking, os cheques devolvidos apareceram com uma
representatividade de 22,3% no indicador até julho de 2008. No acumulado de
janeiro a julho de 2007, os cheques sem fundos tiveram um peso de 28,2% na
inadimplência das pessoas físicas.

Fechando o ranking, os títulos protestados tiveram de janeiro a julho de
2008 uma participação de 2,3% no indicador, abaixo dos 2,6% obtidos no mesmo
período de 2007.

Análise

Segundo os técnicos da Serasa, a inadimplência dos consumidores segue em
alta, devido ao maior endividamento, aos efeitos da inflação sobre o orçamento
doméstico e à elevação dos juros, lembrando que as dívidas mais caras, a
exemplo do cheque especial, apresentam relevante crescimento.

Mesmo com um ritmo menor que a evolução do crédito (que até junho acumula no
ano 13,7% e em 12 meses 32,4%, segundo o BC), a inadimplência está subindo de
forma consistente. Nos primeiros sete meses de 2007, a inadimplência acumulada
registrava uma queda de 1,7% contra os atuais 6,9% de crescimento em igual
período deste ano.

O segundo semestre de 2008 se inicia com um patamar de inadimplência (6,9%)
superior ao verificado no fechamento do período (semestre) anterior (6,1%).

Valor médio das dívidas

Nos sete primeiros meses do ano, o valor médio das dívidas com cartões de
crédito e financeiras somou R$ 410,53, com alta de 13,3% sob o mesmo período de
2007.

Quanto às dívidas com os bancos, o valor médio registrado até julho de 2008
foi de R$ 1.377,80, o que representou uma elevação de 8,9% ante o acumulado de
janeiro a julho de 2007.

Os títulos protestados, por sua vez, tiveram de janeiro a julho de 2008 um
valor médio de R$ 937,54, resultando em 9,4% de crescimento, na relação com o
mesmo acumulado de 2007.

Por fim, os cheques devolvidos apresentaram de janeiro a julho de 2008 um
valor médio de R$ 656,40, 8,4% acima do valor obtido até julho de 2007.

Metodologia

O Indicador Serasa de Inadimplência de Pessoa Física por analisar eventos
ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito
nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações
registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados, dívidas
vencidas com instituições financeiras e cartões de crédito e financeiras.

A Serasa, uma empresa do grupo Experian, é a maior empresa do Brasil em
pesquisas, informações e análises econômico-financeiras para apoiar decisões de
crédito e negócios e referência mundial no segmento. Participa ativamente no
respaldo às decisões de crédito e de negócios tomadas em todo o Brasil,
facilitando aproximadamente 4 milhões de negócios por dia, para mais de 400 mil
clientes diretos ou indiretos.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.