Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Queda na inadimplência das empresas nos primeiros meses do ano

25/06/2008

A inadimplência das empresas apresentou queda de 2,7% nos cinco primeiros
meses de 2008, na comparação com o mesmo período de 2007, revela o Indicador
Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica.

O levantamento da Serasa, uma empresa do grupo Experian, aponta ainda que na
comparação entre maio de 2008 e maio de 2007, a inadimplência das pessoas
jurídicas diminuiu 7,5%. Já na relação entre maio de 2008 e abril último, a
queda foi de 0,3%.

Os títulos protestados seguiram liderando o ranking da inadimplência das
empresas nos cinco primeiros meses de 2008, com uma participação de 42,3% no
indicador. No período de janeiro a maio de 2007, os protestos tiveram 39,8% de
representatividade.

Em seguida estão os cheques devolvidos, que de janeiro a maio deste ano
representaram 38,5% da inadimplência das pessoas jurídicas, enquanto no mesmo
período de 2007 tal participação foi de 38,6%.

Fechando o ranking, as dívidas com os bancos tiveram uma representatividade
de 19,2% nos cinco primeiros meses de 2008, abaixo dos 21,6% obtidos no mesmo
acumulado de 2007.

Quanto ao valor médio das dívidas, de janeiro a maio de 2008 as pendências
com os bancos tiveram um valor médio de R$ 4.456,91, resultando em alta de 8,7%
na relação com os cinco primeiros meses de 2007.

Os títulos protestados, por sua vez, registraram de janeiro a maio deste ano
um valor médio de R$ 1.473,08, com alta de 2,7% sob o valor médio do mesmo
período do ano passado. Já os cheques devolvidos, até maio deste ano
apresentaram um valor médio de R$ 1.273,60, o que representou uma elevação de
12,4% ante o acumulado de janeiro a maio de 2007.

Análise

Os técnicos da Serasa afirmam que a queda da inadimplência das pessoas
jurídicas, no período de janeiro a maio de 2008, é decorrente do nível de
atividade da economia doméstica que, apesar da relativa acomodação neste início
de ano, ainda permanece positivo em relação ao mesmo período de 2007. Essa
expansão tem permitido a melhora do fluxo de caixa das empresas, o que,
conseqüentemente, favorece o pagamento dos fornecedores e a quitação dos
financiamentos e empréstimos tomados para atender às necessidades de capital de
giro e de investimentos das empresas.

Esse movimento é confirmado pela comparação mensal, visto que houve queda
interanual de 15,0% do indicador em março e de 7,5% em maio deste ano ante
iguais meses de 2007. Embora os protestos continuem como os mais
representativos da inadimplência, a participação das dívidas com os bancos caiu
2,2 p.p. (pontos percentuais) de 21,5% em maio de 2007 para 19,3% em maio de
2008. Esse movimento mostra também que as empresas estão se financiando com
seus fornecedores, que é o crédito mercantil – de empresas para empresas.

Segue o alerta de que a inadimplência do consumidor se mantém elevada, o que
pode respingar na tesouraria e na rentabilidade das empresas menos organizadas
financeiramente – aquelas que concedem o crédito de forma inadequada, o que
poderá causar sua própria inadimplência. Isso ocorre, sobretudo, nas micro,
pequenas e médias empresas.

Metodologia

O Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica, por analisar eventos
ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito
nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações
registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas
vencidas com instituições financeiras. É divulgado mensalmente pela Serasa,
desde 2002.

A Serasa, uma empresa do grupo Experian, é a maior empresa do Brasil em
pesquisas, informações e análises econômico-financeiras para apoiar decisões de
crédito e negócios e referência mundial no segmento. Participa ativamente no
respaldo às decisões de crédito e de negócios tomadas em todo o Brasil,
facilitando aproximadamente 4 milhões de negócios por dia, para mais de 400 mil
clientes diretos ou indiretos.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.