Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Inadimplência das empresas inicia 2008 em alta, revela indicador nacional da Serasa

27/02/2008

A inadimplência das empresas apresentou uma elevação de 2,7% em janeiro de
2008 na comparação com o mesmo mês do ano passado. O indicador Serasa de
Inadimplência Pessoa Jurídica registrou ainda uma alta de 18,8% em janeiro de
2008 na comparação com dezembro de 2007.

Os títulos protestados lideraram, em janeiro de 2008, o ranking da
inadimplência das pessoas jurídicas com uma representatividade de 42,4% no
indicador. Em janeiro de 2007 este percentual foi de 39,6%.

Em segundo lugar aparecem os cheques devolvidos, que no primeiro mês de 2008
tiveram uma participação de 38,2%, porcentagem menor que os 39,0% obtidos no
primeiro mês do ano anterior.

Fechando o ranking, com representatividade de 19,4% em janeiro deste ano,
estão as dívidas com bancos. No primeiro mês de 2007 as pendências das empresas
com instituições financeiras tiveram uma participação de 21,4% no
indicador.

Ainda segundo o estudo, a inadimplência das empresas com bancos e
financeiras apresentou em janeiro deste ano um valor médio de R$ 4.252,96, com
elevação de 5,3% na comparação com janeiro de 2007. O valor médio das anotações
com títulos protestados em janeiro de 2008 foi de R$ 1.392,44, com alta de 0,4%
sob janeiro de 2007. Já os registros de cheques devolvidos tiveram em janeiro
deste ano um valor médio de R$ 1.224,21, com crescimento de 4,6% perante o
primeiro mês do ano anterior.

Análise

A inadimplência das empresas vem crescendo, mas seu ritmo de crescimento
segue inferior à concessão de crédito à pessoa jurídica.

Para os analistas da Serasa, as razões para a evolução da inadimplência em
janeiro deste ano frente a igual mês de 2007 são a maior tomada de recursos
pelas empresas – incentivada pela maior oferta de crédito e pelos juros e
spreads menores – para investimentos e capital de giro para recomposição dos
estoques; o descolamento do prazo de financiamento de seu capital de giro
(curto) e o oferecido ao cliente (mais longo); a elevação da concessão de
crédito a pequenas e médias empresas, que possuem maior risco em razão da
sensibilidade às variações dos negócios, com taxas de juros ainda elevadas na
comparação com o retorno do negócio; e, ainda, a má concessão de crédito ao
cliente.

A relação mensal, janeiro 2008/dezembro 2007 (18,8%), quase dobrou ante à
verificada em janeiro2007/dezembro 2006 (9,9%), e isso decorre dos encargos que
as empresas têm no período novembro a março. Além dessa sazonalidade, com o
aumento do emprego formal (com carteira assinada), mais empresas tiveram de
pagar 13º salário aos seus empregados registrados, recorrendo a recursos de
terceiros para isso. As menos organizadas financeiramente estão com
dificuldades neste início de ano para pagamento desses financiamentos.

Metodologia

O Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica, por analisar eventos
ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito
nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações
registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas
vencidas com instituições financeiras. É divulgado mensalmente pela Serasa,
desde 2002.

A Serasa, uma empresa do grupo Experian, é a maior empresa do Brasil em
pesquisas, informações e análises econômico-financeiras para apoiar decisões de
crédito e negócios e referência mundial no segmento. Participa ativamente no
respaldo às decisões de crédito e de negócios tomadas em todo o Brasil,
facilitando aproximadamente 4 milhões de negócios por dia, para mais de 400 mil
clientes diretos ou indiretos.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.