Últimas Notícias

Estudos Econômicos

Dívidas com bancos elevam inadimplência das empresas em 2007, aponta indicador da Serasa

27/06/2007

A inadimplência das pessoas jurídicas apresentou alta no acumulado de
janeiro a maio de 2007, na comparação com os cinco primeiros meses de 2006.
Segundo o Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica houve um aumento de
2,3% na inadimplência das empresas no período. Na relação entre os meses de
maio e abril deste ano, o aumento foi de 9,6%.

Quando comparado maio de 2007 com maio de 2006, no entanto, o indicador
registrou queda de 1,0% na inadimplência das empresas. O recuo na variação
anual reduziu o crescimento da inadimplência no acumulado do ano.

Esse crescimento, por outro lado, foi impulsionado pela alta da participação
das dívidas com os bancos na inadimplência das pessoas jurídicas. Apesar de
ocupar o terceiro lugar no ranking de representatividade do indicador, os
registros vem crescendo a cada ano. De janeiro a maio de 2007, as dívidas com
as instituições financeiras tiveram um peso de 21,6% na inadimplência de PJ,
enquanto no mesmo período de 2006, o índice era de 19,8%.

Os líderes no ranking de representatividade da inadimplência das empresas
continuam sendo os títulos protestados. Nos cinco primeiros meses deste ano, o
peso dos protestos no indicador foi de 39,8%. Porém essa participação vem
caindo anualmente. De janeiro a maio de 2006, os títulos protestados
representavam 40,5% da inadimplência das pessoas jurídicas.

Os cheques sem fundos ficaram com o segundo lugar na representatividade da
inadimplência das empresas, nos primeiros cinco meses de 2007, com um peso de
38,6% no indicador. No mesmo período de 2006, o peso dos cheques sem fundos na
inadimplência das pessoas jurídicas era maior, de 39,7%.

Operações de crédito influenciaram na alta da inadimplência

O aumento da inadimplência das empresas, sobretudo no que diz respeito às
dívidas não honradas junto às instituições financeiras, pode ser explicado pelo
forte incremento das contratações de operações de crédito. Segundo os dados
divulgados pelo Banco Central, o saldo dos empréstimos dos bancos às empresas,
concedidos com recursos livres, aumentou 24,2% em abril deste ano quando
comparado com o mesmo mês de 2006.

Além disto, a valorização cambial também contribuiu para a elevação da
inadimplência, pois prejudicou a rentabilidade das empresas exportadoras e
afetou aquelas que concorrem diretamente com os produtos importados.

Valor médio das dívidas com os bancos tem alta de 16,8%

O valor médio das dívidas com os bancos nos cinco primeiros meses de 2007
foi de R$ 4.100,91, o que representou um aumento de 16,8% na comparação com o
mesmo período de 2006.

Também houve elevação no valor médio dos títulos protestados no acumulado de
janeiro a maio de 2007. O valor médio de protestos nesse período foi de R$
1.434,28. Houve um crescimento de 3,9% em relação ao mesmo acumulado do ano
passado.

Já o valor médio dos cheques sem fundos, de R$ 1.132,87, nos cinco primeiros
meses deste ano, apresentou um recuo de 10,1% na comparação com o mesmo período
de 2006.

Metodologia

O Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica, por analisar eventos
ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito
nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações
registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas
vencidas com instituições financeiras.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.