Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Aumento do emprego formal favorece queda da inadimplência com cheques, revela Serasa

23/05/2007

O volume de cheques devolvidos por falta de fundos a cada mil compensados
recuou 6,0% no acumulado de janeiro a abril de 2007, em relação ao mesmo
período de 2006, apurou o indicador da Serasa. Foram devolvidos 20,2 cheques a
cada mil compensados nos primeiros quatro meses deste ano, contra 21,5 no
período equivalente do ano passado, em todo o país.

Os cheques compensados totalizaram 523,5 milhões no primeiro quadrimestre de
2007 e os devolvidos foram 10,6 milhões, no período. De janeiro a abril de
2006, houve 581,3 milhões de cheques compensados, no país, e 12,5 milhões foram
devolvidos por falta de fundos.

A inadimplência com cheques também registrou queda em abril deste ano.
Quando comparado a março, o volume de cheques devolvidos por mil compensados
diminuiu 14,3%, em todo território nacional. Houve 19,8 cheques devolvidos, por
insuficiência de fundos, a cada mil compensados em abril deste ano, ante 23,1
em março.

Um total de 128,4 milhões de cheques foi compensado em abril deste ano e
2,54 milhões, devolvidos duas vezes por insuficiência de fundos, no país. Os
cheques compensados em março de 2007 totalizaram 132,1 milhões, e os devolvidos
por falta de fundos foram 3,04 milhões.

Na relação com abril do ano passado, o recuo foi de 11,6%. Foram devolvidos
22,4 cheques por mil compensados no quarto mês de 2006. Em todo o país, o
número de cheques compensados, em abril do ano passado, foi de 133,3 milhões e
os devolvidos somaram 3,0 milhões.

Cadastro positivo ajudará a diminuir a inadimplência com cheques

Os assessores da Serasa afirmam que a queda na inadimplência com cheques, em
todas as comparações, é reflexo do aumento da massa salarial e do emprego,
sobretudo, com carteira assinada. Além disso, as diversas formas de
financiamento a longo prazo (crédito consignado, veículos, habitacional etc)
têm favorecido a qualidade do cheque, que é um instrumento de venda a prazo
(cheque pré-datado) de curto e médio prazos e de fácil e rápida recuperação
para o varejista.

Os indicadores de cheques sem fundos, bem como outros meios de pagamento,
serão influenciados favoravelmente com a prática do cadastro positivo sobre o
crédito. Essa nova metodologia possibilitará o estabelecimento de políticas
mais adequadas aos diversos tomadores de crédito, o que significará maior
segurança nessas transações e, portanto, redução de custos e ampliação de
recursos e abrangência, tanto para pessoa física quanto para pessoa
jurídica.

Nos Estados brasileiros

*Ranking de cheques devolvidos a cada mil compensados, em abril de 2007, por
Estado.

 

ESTADOS/REGIÕES ABRIL 2007

1 RORAIMA 99,7

2 AMAPÁ 81,5

3 MARANHÃO 63,5

4 ACRE 55,6

5 ALAGOAS 53,5

6 TOCANTINS 52,0

7 SERGIPE 44,7

8 RIO GRANDE DO NORTE 42,9

9 PARÁ 42,4

10 PARAÍBA 40,9

11 PIAUÍ 37,4

12 AMAZONAS 33,1

13 MATO GROSSO 29,7

14 BAHIA 28,7

15 RONDÔNIA 26,1

16 CEARÁ 23,1

17 GOIÁS 22,4

18 MATO GROSSO DO SUL 21,7

19 ESPÍRITO SANTO 21,7

20 DISTRITO FEDERAL 21,3

21 RIO DE JANEIRO 20,1

BRASIL 19,8

22 MINAS GERAIS 18,4

23 RIO GRANDE DO SUL 18,2

24 SANTA CATARINA 18,1

25 PERNAMBUCO 17,9

26 PARANÁ 17,7

27 SÃO PAULO 16,7

 

1 REGIÃO NORTE 40,3

2 REGIÃO NORDESTE 29,7

3 REGIÃO CENTRO-OESTE 23,1

4 REGIÃO SUL 18,0

5 REGIÃO SUDESTE 17,7

 

 

*O índice de cheques devolvidos por falta de fundos a cada mil compensados,
nos Estados do país, não deve ser analisado isoladamente. O total de cheques
compensados e o de cheques devolvidos, em cada Estado, influenciam na
interpretação do índice.

 

 

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.