Últimas Notícias

Estudos Econômicos

Crédito sustenta a maior alta nas vendas do comércio desde 2004, aponta indicador inédito da Serasa

10/04/2007

O volume de vendas do comércio varejista nacional cresceu 7,9% no primeiro
trimestre deste ano, na comparação com os três primeiros meses de 2006. É o que
revela o Indicador Serasa de Atividade do Comércio, lançado hoje pela Serasa. O
novo índice, que será mensal, aponta que o primeiro trimestre de 2007 é o
melhor desde 2004, quando apresentou elevação de 8,5% em relação ao primeiro
trimestre de 2003.

A alta das vendas também foi observada em março deste ano, quando houve um
aumento de 6,8% nas vendas do varejo na comparação com março do ano passado. Na
variação acumulada nos últimos 12 meses, encerrados em março de 2007, houve
crescimento de 6,9% da atividade comercial.

De acordo com o indicador da Serasa, maior empresa do Brasil em pesquisas,
informações e análises econômico-financeiras para apoiar decisões de crédito e
negócios, a alta das vendas no primeiro trimestre de 2007 foi determinada pelo
crescimento de 10,2% nas vendas do varejo especializado (lojas de
eletroeletrônicos, veículos, materiais de construção etc.), ao passo que as
vendas dos hipermercados, supermercados e do varejo de alimentos e bebidas
(mercearias, açougues, quitandas, distribuidoras de bebidas etc.) subiram 5,6%
no primeiro trimestre de 2007.

Na variação acumulada nos últimos 12 meses, encerrados em março de 2007, o
volume de vendas dos hipermercados, supermercados e do varejo de alimentos e
bebidas, cresceu 7,9%, ao passo que o varejo especializado registrou elevação
de 5,5% no seu volume de vendas.

Na comparação com o mês de fevereiro de 2007, as vendas do varejo aumentaram
12,8%, com 13,7% de crescimento do varejo composto pelos hipermercados,
supermercados e do varejo de alimentos e bebidas, e 11,8% de elevação no varejo
especializado.

Oferta de crédito

Segundo os analistas da Serasa, o forte crescimento das vendas do varejo
neste começo de ano decorre, sobretudo, dos impulsos proporcionados pelo
aumento continuado da oferta de crédito ao consumidor, pelo processo de redução
das taxas básicas de juros, pela recuperação da massa salarial real e pelo
incremento da importação de bens de consumo mantendo os preços deste produtos
estáveis no varejo, dada a atual apreciação do câmbio.

O aumento das vendas, na relação de março deste ano sobre fevereiro, é
justificada pelo maior número de dias úteis, além do efeito das vendas de
produtos de época para o feriado da Páscoa, sendo, portanto, um fenômeno
sazonal.

Metodologia

O Indicador Serasa de Atividade do Comércio, lançado hoje, vai analisar
eventos ocorridos em todo o Brasil e que refletem o comportamento da evolução
do volume de vendas do comércio varejista em âmbito nacional. O modelo
estatístico de múltiplas variáveis considera uma amostra de 6.000 empresas das
mais representativas do varejo em todo o país.

O ponto de partida e ferramental exclusivo são as consultas registradas
pelas empresas que compõem a amostra ao banco de dados da Serasa, uma das
maiores empresas do mundo em informações e análises econômico-financeiras para
apoiar decisões de crédito e negócios. A Serasa possui em sua base de dados
informações de cerca de 5,3 milhões de empresas de todos os setores
econômicos.

“Com o aumento do crédito pessoal, sobretudo a partir de 2004, a Serasa
verificou a necessidade da criação de um indicador de atividade do comércio e
apresenta hoje ao mercado, após longo período de validação técnica, o seu
indicador único, que agrega avançada metodologia estatística com o suporte de
imensa massa de dados, para nortear o mercado e os agentes econômicos na
compreensão do dia-a-dia da economia e na tomada de decisões”, afirma o
presidente da Serasa, Elcio Anibal de Lucca.

Com a nova metodologia de cálculo do PIB, apresentada pelo IBGE no último
dia 21, o comércio passou a ser, individualmente, o setor com maior
participação na geração do valor adicionado da economia brasileira, respondendo
por 11,0% e, neste sentido, é de fundamental importância que se disponha de
mais indicadores, destinados a mensurar com precisão, robustez e presteza a
evolução deste importante setor da atividade econômica do país.

O novo indicador da Serasa terá periodicidade mensal. “Com mais este
referencial, a Serasa cumpre sua importante função de transformar dados em
informação e esta, em compreensão, em conhecimento, com compromisso científico
e isento”, afirma Elcio Anibal de Lucca.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.