Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

São Paulo é o Estado com o menor índice de cheques sem fundos. Amapá é o maior

29/06/2006

Estudo inédito feito pela Serasa comparou o total de cheques compensados e
devolvidos em cada um dos 27 Estados, este ano e em 2005, e criou o ranking de
cheques sem fundos. Amapá é o Estado campeão, com 95,6 cheques devolvidos a
cada mil compensados no período de janeiro a maio de 2006. O índice amapaense é
440% superior ao de São Paulo, com 17,7 cheques devolvidos em cada mil
compensados, no mesmo período. O Estado paulista detém o menor índice de
cheques devolvidos em todo o Brasil e registra também o maior volume de cheques
compensados (287,6 milhões) no período.

Santa Catarina registra o segundo menor índice, 19,1 cheques devolvidos em
cada mil compensados, seguido por Minas Gerais, 20,3. O Rio Grande do Sul tem o
quarto menor índice de inadimplência, 21,6. Pernambuco ocupa o quinto lugar,
21,7, e Paraná o sexto lugar, 21,9.

Comparado com 2005, verificam-se algumas mudanças de posição. São Paulo
trocou de lugar com Santa Catarina, que tinha no ano passado a menor
inadimplência com cheques.

Roraima detém o segundo lugar no ranking dos Estados mais inadimplentes em
cheques, com 85,1 cheques devolvidos a cada mil compensados, seguido por
Maranhão, 58,8. Os Estados das regiões Norte e Nordeste lideram o ranking.
Pernambuco é o único Estado da região Nordeste que está abaixo da média
nacional, que é de 22 cheques devolvidos em cada mil compensados, nos cinco
primeiros meses do ano. Neste patamar não há nenhum Estado das regiões Norte e
Centro-Oeste.

De acordo com o levantamento, de janeiro a maio de 2006, em todo o país,
734,5 milhões de cheques foram compensados, sendo 16,1 milhões devolvidos por
insuficiência de fundos. No mesmo período de 2005, o total de cheques
compensados havia sido de 817,9 milhões, e o de devolvidos, 14,8 milhões.

Os técnicos da Serasa apontam que os aspectos culturais da população em
relação ao crédito e ao cheque pré-datado contribuem para a inadimplência. Nas
regiões com menor oferta de crédito, tanto o consumidor como o concedente de
crédito não possuem uma educação financeira. Além disso, há os fatores
conjunturais que têm impacto direto no emprego e na renda, com diferente
intensidade no território nacional.

Para os técnicos, o grau de informalidade no mercado de trabalho é outro
fator que pesa nessa estatística. No caso do comerciante, a utilização de
metodologia adequada para a concessão de crédito, via cheque pré-datado, e para
a aceitação do cheque à vista reduz significativamente a inadimplência. Nas
regiões onde o uso de tecnologia de crédito é mais disseminado, a inadimplência
é menor, como se pode verificar nos Estados com maior representatividade
econômica, que possuem o maior número de transações.

Veja abaixo o ranking dos Estados brasileiros e o índice de cheques
devolvidos a cada mil compensados de cada um e o ranking das regiões.

ESTADOS/REGIÕES JAN A MAI 2006

1 AMAPÁ 95,6

2 RORAIMA 85,1

3 MARANHÃO 58,8

4 TOCANTINS 54,9

5 ACRE 54,7

6 ALAGOAS 49,5

7 PARÁ 48,1

8 RIO GDE NORTE 44,2

9 PARAÍBA 42,8

10 PIAUÍ 38,7

11 MATO GROSSO 35,7

12 SERGIPE 35,4

13 AMAZONAS 35,4

14 BAHIA 32,3

15 RONDÔNIA 30,9

16 MATO G. SUL 28,4

17 DISTRITO FEDERAL 26,6

18 GOIÁS 24,9

19 RIO DE JANEIRO 24,6

20 CEARÁ 24,2

21 ESPÍRITO SANTO 22,1

BRASIL 22,0

22 PARANÁ 21,9

23 PERNAMBUCO 21,7

24 RIO GDE SUL 21,6

25 MINAS GERAIS 20,3

26 SANTA CATARINA 19,1

27 SÃO PAULO 17,7

 

1 REGIÃO NORTE 44,4

2 REGIÃO NORDESTE 31,7

3 REGIÃO CENTRO-OESTE 27,7

4 REGIÃO SUL 21,0

5 REGIÃO SUDESTE 19,3

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.