Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Inadimplência de empresas aumenta em fevereiro, aponta indicador nacional da Serasa

19/04/2006

O índice, no entanto, registrou queda na comparação com janeiro
deste ano

A inadimplência das empresas registrou alta em fevereiro de 2006. Segundo o
Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica o índice aumentou 8,9% em
relação a fevereiro de 2005. No primeiro bimestre deste ano, também houve alta
no indicador. Quando comparada aos dois primeiros meses de 2005, a
inadimplência da pessoa jurídica aumentou 12,8%.

Entretanto, na relação fevereiro de 2006 com janeiro de 2006, a
inadimplência das empresas recuou 12,5%, aponta o indicador nacional da Serasa,
maior empresa do Brasil em pesquisa, informações e análises
econômicos-financeiras para apoiar decisões de crédito e negócios e referência
mundial no segmento.

Representatividade

O Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica mostrou que os títulos
protestados registraram a maior representatividade na inadimplência de
empresas, em fevereiro de 2006, com a participação de 40,5%. No entanto, essa
participação caiu em relação a fevereiro de 2005, quando os títulos protestados
tiveram peso de 42,1%, na inadimplência das empresas.

O segundo índice na representatividade do indicador de inadimplência é o de
cheques sem fundos, que aumentou de 38,9%, em fevereiro de 2005, para 39,6% em
fevereiro deste ano. Com a menor representatividade estão as dívidas
registradas com os bancos, 19,9% no segundo mês de 2006 e 19,0% em fevereiro de
2005.

O valor médio das anotações de cheques sem fundos de pessoa jurídica, no
primeiro bimestre de 2006, foi de R$ 1.278,09. Já o valor médio de títulos
protestados, no mesmo período, foi de R$ 1.379,24, enquanto os registros de
dívidas com o sistema financeiro tiveram um valor médio de R$ 3.374,36.

Em relação ao primeiro bimestre de 2005, houve um aumento de 6,3% no valor
médio das anotações de cheques sem fundos. O valor médio das anotações de
protestos, no entanto, permaneceu estável, com uma ligeira queda de 0,5% em
relação aos dois primeiros meses de 2005, e o valor das dívidas com os bancos
teve queda de 2,4%.

Argumentação

Os técnicos da Serasa apontam que apesar da inadimplência de pessoa jurídica
ter subido 8,9% na relação fevereiro de 2006 com fevereiro de 2005, no mesmo
período o crédito para as empresas cresceu 13,8%, o que significa que o crédito
cresce mais que a inadimplência, ou seja, os pagamentos pontuais das empresas
superam, com boa margem, os inadimplentes.

Quando se analisa a variação mensal, fevereiro sobre janeiro de 2006, no
entanto, há uma queda de 12,5%, o que é coerente com a melhoria da atividade
econômica registrada no início deste ano, sobretudo no comércio.

A inadimplência será influenciada pela aprovação do projeto de lei que trata
do cadastro positivo sobre o crédito. Essa nova legislação possibilitará o
estabelecimento de políticas mais adequadas aos diversos tomadores de crédito
e, portanto, maior segurança nessas transações, com redução de custos e
ampliação do volume, abrangência e prazo, tanto para pessoa física quanto para
jurídica.

Metodologia

O Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica, por analisar eventos
ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito
nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as variações
registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas
vencidas com instituições financeiras.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.