Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Inadimplência de empresas tem nova alta em novembro, revela indicador da Serasa

04/01/2006

A Serasa apontou uma alta de 7,9% na inadimplência da pessoa jurídica em
novembro de 2005, na comparação com outubro do mesmo ano. Segundo o
Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica a alta verificada em
novembro foi a segunda consecutiva no indicador, que em outubro de 2005 havia
aumentado 1,8% em relação a setembro.

Comparada a novembro de 2004, a inadimplência de empresas apresentou
acréscimo de 8,4%, segundo o levantamento da Serasa, maior empresa do Brasil em
informações e análises econômico-financeiras para apoiar decisões de crédito e
negócios e referência mundial no segmento. Nos onze meses de 2005, houve uma
alta de 14,1% no indicador, na comparação com o mesmo período de 2004.

Segundos os técnicos da Serasa, a redução no ritmo da atividade econômica e
as taxas de juros ainda elevadas pressionaram o fluxo de caixa das empresas,
restringindo a sua capacidade de honrar os compromissos financeiros, e por
conseqüência, aumentando a inadimplência.

Representatividade

De acordo com o indicador, os títulos protestados registraram a maior
representatividade na inadimplência das empresas, com a participação de 40,7%
em novembro de 2005. No entanto, o peso dos protestos no indicador vem caindo a
cada ano e a participação em novembro de 2005 foi inferior a registrada em
novembro de 2004, quando os títulos representaram 43,2% da inadimplência.

O segundo índice na representatividade do indicador de inadimplência é o de
cheques sem fundos, que em novembro de 2005 teve um peso de 39,1% na
inadimplência das empresas. Em novembro de 2004, a participação dos cheques sem
fundos foi de 39,5%.

Com a menor representatividade, mas crescendo a cada ano, estão as dívidas
registradas com os bancos, 20,2% em 2005, superior à participação de novembro
de 2004 que foi de 17,3%.

No acumulado de janeiro a novembro de 2005, o valor médio das anotações de
títulos protestados da pessoa jurídica atingiu R$ 1.400,45. Já o de cheques sem
fundos registrou R$ 1.234,27 e o valor médio das dívidas registradas com os
bancos foi de R$ 3.180,36.

Em relação ao período de janeiro a novembro de 2004, houve um aumento de
3,3% no valor médio das dívidas com cheques sem fundos e de 5,4% no valor médio
das anotações de protestos. O valor médio das dívidas com bancos e financeiras,
nos onze meses de 2005, foi 13,1% maior que no mesmo período de 2004.

Metodologia  

O Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica , por analisar
eventos ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em
âmbito nacional. O modelo estatístico de múltiplas variáveis considera as
variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e
dívidas vencidas com instituições financeiras.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.