Últimas Notícias

Estudos de Inadimplência

Inadimplência de consumidores começa o ano em queda, diz estudo nacional da Serasa

21/03/2005

O Indicador Serasa de Inadimplência – o único do país baseado em modelo
estatístico de múltiplas variáveis, que contempla todas as modalidades de
inadimplência da economia brasileira (registros de cheques devolvidos, títulos
protestados, dívidas vencidas com instituições financeiras, empresas do varejo,
cartões de crédito e financeiras) – mostrou queda na inadimplência de
consumidores no primeiro mês do ano. Em janeiro de 2005, a inadimplência de
pessoa física caiu 1,6% na comparação com dezembro de 2004 – mês que já havia
registrado queda de 1,3% em relação a novembro. Na série dessazonalizada, a
queda no indicador de inadimplência em janeiro de 2005, em relação a dezembro
de 2004, foi ainda maior, de 3,3%.

De acordo com o estudo, os cheques sem fundos deixaram de registrar a maior
representatividade na inadimplência de consumidores e foram substituídos pelas
dívidas com cartões de crédito e financeiras. No primeiro mês deste ano, os
cheques devolvidos representaram 33,8% do total do indicador de inadimplência
da pessoa física. O percentual em janeiro de 2004 foi de 35,8% e em janeiro de
2003, havia sido de 36,6%. Já a participação no indicador de inadimplência das
dívidas não pagas junto às financeiras e administradoras de cartões de crédito
passou para 35,2% em janeiro deste ano. Em janeiro do ano passado elas
representavam 33,5% e em 2003 tinham um peso de 33,2%.

O índice que aponta os registros das dívidas junto aos bancos apresentou a
terceira maior participação no indicador, com 29,4%. Em janeiro de 2004, os
registros tinham um peso de 28,9% e, em 2003, a participação foi de 28,2%.
Finalmente, os títulos protestados representam, há cerca de três anos, menos de
2% das dívidas não pagas de pessoas físicas.

O valor médio das anotações negativas de cheques sem fundos de pessoas
físicas foi R$ 502,63 em janeiro de 2005. Já o valor médio de títulos
protestados foi R$ 672,23, enquanto os registros no sistema financeiro tiveram
um valor médio de R$ 1.108,86, e os registros em outros segmentos (cartões de
crédito e financeiras), de R$ 240,20.

De acordo com os técnicos da Serasa, a queda da inadimplência no início de
2005 foi influenciada pelo bom desempenho econômico dos últimos meses. O
decréscimo da inadimplência do consumidor, em particular, é reflexo da melhora
do emprego no último semestre de 2004 e o ligeiro aumento da massa de salários
efetivamente recebida. Um comportamento positivo, que pode ser inferido do
indicador, é a conscientização das famílias da necessidade de melhor
administrar o seu orçamento, bem como a disseminação do uso, pelas empresas,
das novas formas de análise e administração de sua carteira de crédito.

  • 2017 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.